Hospitais da rede estadual já distribuíram mais de mil litros de leite humano em 2020


O leite humano é essencial para ajudar a salvar a vida de bebês internados em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (Utin). Os bancos de leite da rede estadual localizados no Hospital Regional Norte (HRN), em Sobral, no Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), em Fortaleza, já distribuíram 1.086,5 litros de leite humano pasteurizado entre os meses de janeiro e maio deste ano. 
No HRN, a doação de leite humano salva vidas. Pode ser doadora toda mulher que amamenta. Para doar, basta estar saudável, não fumar, não usar álcool ou drogas e não tomar medicamentos que interfiram na amamentação. Também não existe uma quantidade mínima para fazer a doação.
"Neste tempo de pandemia em que vivemos um espírito de solidariedade, queremos pedir a todas as mamães que estão em casa e que estão amamentando que façam essa doação que irá salvar muitas vidas", ressalta a coordenação do Banco de Leite Humano do HRN, Samara de Andrade. 
Já no HGCC, as doações fazem toda a diferença no tratamento e na recuperação de recém-nascidos prematuro. A coordenadora do banco de leite do Hospital, Rejane Santana, ressalta que todas as regiões do Ceará contam com bancos e postos de coleta. A rede bem estruturada facilita o recebimento de doações e o repasse de orientação às mães que estão amamentando.
“Nossos bancos de leite estão em todas as regiões: em Fortaleza; Região Norte, em Sobral; Sertão Central, em Quixadá, na Região do Cariri, em Juazeiro e Barbalha. Todos atendem a protocolos estabelecidos pela Rede Brasileira de Banco de Leite Humano” explica.
Mãe de duas meninas, uma delas recém-nascida, Ana Paula da Silva sempre quis ser uma doadora de leite materno. Com o incentivo da cunhada, que também deu à luz há pouco tempo, ela fez as primeiras doações. “Minha cunhada foi ter bebê no HGCC. Pegou as orientações com a enfermeira, os recipientes, e eu passei a doar”, diz.
Para ela, a doação passou a ter ainda mais valor nos dias atuais. “Eu gosto muito de doar, principalmente nessa pandemia. Sei que muitos bebês precisam desse leite. Eu me sinto muito bem”, conclui.
Depois de recebido na unidade hospitalar, o leite doado passa por testes e exames. “Passa pelo rigoroso processo de controle de qualidade, seguindo as normas estabelecidas. Somente após o processo temos total segurança. O leite só é liberado depois de passar pelo controle microbiológico e confirmatório das amostras” explica a bioquímica Stéfanny Linhares.
Serviço
Banco de Leite Humano do HRN
Telefone: (88) 3677-9300 - Ramal: 9467 (Banco de Leite)
Whatsapp: (88) 9 8883-4079  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça