Pular para o conteúdo principal

Fossil retorna aos estúdios e lança novo disco, repleto de questionamentos e experimentalismos



Intitulado “4”, o álbum foi gravado e produzido em Fortaleza e São Paulo e conta com seis faixas que exploram, entre ritmos e distorções, o atual cenário de incertezas em meio à pandemia


Após um hiato de cinco anos, a banda Fossil volta aos estúdios para a gravação do seu quarto álbum, que já está disponível nas principais plataformas digitais. O grupo, que surgiu na cena independente cearense em 2004, foi um dos pioneiros na cidade ao levar o rock para o contexto da música instrumental e experimental, conquistando público e espaço nos principais festivais do Nordeste e São Paulo. Intitulado “4”, este novo trabalho foi gravado à distância pelo quarteto, formado por cozilos Vitor e rodrigo éh @rudriquix, em Fortaleza, e Klaus Sena e Victor Bluhm, na capital paulista. O disco também conta com a participação de músicos como Negro Leo, Thomas Harres, Clau Aniz, Clarisse Aires e Gabriel de Sousa. 


Conforme explica cozilos Vitor, guitarrista e um dos fundadores da Fossil, o álbum, que possui seis faixas, tem como fio condutor a urbanicidade brasileira, com seus contrastes, desigualdades, peculiaridades e, principalmente, os sentimentos que esses grandes centros urbanos evocam. Como a gravação e a produção de “4” ocorreu no período da pandemia, esse processo criativo, entre dúvidas e (in)certezas, torna-se ainda mais evidente.  


“Esse é um disco de reencontro em meio a todo esse caos em que estamos vivendo, o que não deixa de ser uma dualidade de sentimentos. É a alegria de estar produzindo algo novo depois de cinco anos, mas, ao mesmo tempo, temos muitas dúvidas sobre o futuro. O álbum tem ritmos que podem ser dançados, despertando um sentimento obscuro ou até uma possibilidade de luz no fim de túnel. Tudo com um quê de ironia, humor denso e essa mistura de otimismo e pessimismo”, destaca cozilos Vitor.   


Já o baixista Klaus Sena explica que a inspiração para “4” vem em boa parte de gravações antigas de jazz, com o improviso conduzindo todas as canções, além de ser um “mergulho interior de sentimentos, sonhos e lembranças”, como o artista faz questão de ressaltar.  


Novas formas de criar


Pela primeira vez na história da Fossil, a criação de um álbum foi feita de maneira diferente em relação aos três primeiros trabalhos, Desconforto (2004), Insônia (2008) e Mocumentário (2012), muito em razão da separação geográfica e também pela pandemia. Se antes, as composições nasciam a partir de encontros e convivências, que posteriormente eram trabalhadas pelo grupo no estúdio, no “4”, os músicos acabaram encontrando um formato diferente, mas sem perder a essência que sempre norteou o processo criativo da Fossil, como destaca rodrigo éh @rudriquix.

“Neste trabalho, tivemos que buscar uma nova maneira de criação, um processo um pouco mais frio, até, mas sempre buscando não perder o calor do improviso”, reforça. Victor Bluhm, por sua vez, também destaca o aspecto livre que norteou este álbum. O improviso, que antes era trabalhado entre os integrantes, fluiu naturalmente na própria gravação das músicas, tudo “take one”.


O resultado, para rodrigo éh @rudriquix, é um “pós-rock brasileiro”, que por sua vez também passeia por estilos e climas diferentes, na tentativa de narrar distâncias imensuráveis de um novo momento da humanidade, que afetou – e afeta – diretamente o quarteto cearense. “Foi tudo no nosso tempo, no ritmo natural das coisas, que começou ainda em 2019”, ressalta.

Assim, nesse misto de sentimentos, que os integrantes comemoram o retorno do grupo com o disco “4”, mesmo nesse período de incertezas, uma vez que a arte não deixa de ser uma maneira de questionar e transformar a realidade em que vivemos atualmente. “Mais do que nunca, é importante que cada um esteja ligado no que acontece na sua própria cidade, no seu bairro, nas cenas, nos trabalhos e comunidade/coletivos das quais fazemos faz parte. Apoie iniciativa independente e chegue junto”, finaliza cozilos Vitor.

   


Faixa a faixa, por cozilos Vitor 


1. Escopo 26: uma colagem de mensagens de Whatsapp trocadas entre os músicos durante o processo de produção e gravação


2. Lombra 8 y 9: um pós-punk que poderia ser trilha sonora de um passeio urbano, que deságua em uma alvorada pós-noitada... uma espécie de atravessar a noite


3. Sta Quitéria Nuclear Plant: vagalume radioativo atravessa fumaça roxa na luz baixa de um abajur nuclear. 


4. Lombra 14 cHIp-párarãn: dark dub qual é a sua máscara? 


5. Sala 18: canção de ninar pós-verdade, polirritmia de arcos, ferros, percussões, guitarra e sintetizador.


6. Petróleo da Sabi no Pé: podia ser um pop, passinho perplexo de auto-ironia pessimista.



FICHA TÉCNICA: Fossil - 4 (2021)


Produzido por Fossil

Gravado entre Abril de 2019 e Fevereiro de 2021 nos estúdios Índigo Azul (SP), por Klaus Sena |  studio lo-fi messê (CE), por cozilos Vitor e rodrigo éh @rudriquix | Trincheira Residência (CE), por Clau Aniz.

Mixado por Klaus Sena no Estúdio Índigo Azul

Produção executiva e produção fonográfica - Ana Carol Azeredo

Selo Índigo Azul


Escopo 26 

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm

rodrigo éh @rudriquix - Samples e Sintetizador


Lombra 8y9

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm

Victor Bluhm - Bateria; Percussões Eletrônicas

Klaus Sena - Baixo; Guitarra; Batida Eletrônica; Piano; Sintetizador

Cozilos Vitor - Sintetizador

rodrigo éh @rudriquix - Guitarra

Thomas Harres - Percussões


Sta Quitéria Nuclear Plant - part. Clau Aniz, Clarisse Aires, 131el

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm, Clau Aniz, Clarisse Aires, 131el

Victor Bluhm - Bateria; Percussões;

Klaus Sena - Baixo;

Rodrigo éh @rudriquix - Órgão;

Clau Aniz - Clarineta;

Clarisse Aires - Flauta;

131el - Sax Barítono


Lombra 14, cHIp-párarãn - part. Negro Leo

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, Rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm, Negro Leo

Negro Leo - Voz

Victor Bluhm - Bateria; Percussões

Klaus Sena - Baixo; Piano; Percussões

Cozilos Vitor - Guitarras

rodrigo éh @rudriquix - Sintetizador, Escaleta e Samples


Sala 18, 42 bilionários - part. Thomas Harres

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm, Thomas Harres

Victor Bluhm - Bateria

Klaus Sena - Baixo; Didjeridoo

Thomas Harres - Percussões; Ruídos

Cozilos Vitor - Guitarra Preparada

rodrigo éh @rudriquix - Sintetizador


Petróleo da Sabi no Pé

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm

Cozilos Vitor - Voz; Guitarras;

Klaus Sena - Baixo; Batida Eletrônica;

Victor Bluhm - Percussões Eletrônicas;

rodrigo éh @rudriquix - Sintetizador; Samples


Serviço:

Serviço:

Lançamento disco 4, Fossil

Dia: 16 de abril 2021

Onde: https://tratore.ffm.to/fossil4 

Saiba mais:

@fossilquatro

@_indigoazul

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pá eólica- Gravíssimo acidente na BR-020, em Parambu, deixa dois mortos ; uma das vítimas sócio do Floresta Bar

    Um gravíssimo acidente foi registrado no inicio da manhã deste domingo, 30, na BR-020, KM 45, à altura da localidade de Pau Preto, Parambu. Segundo as informações preliminares, um carro de passeio de luxo, Modelo Audi, ano 2019, cor cinza, placas PBU- 1521, inscrição de Brasilia, DF, colidiu com uma carreta que transportava peças de energia eólica e acabou sendo praticamento esmagado. Segundo ainda informações preliminares, no veículo duas pessoas vieram a óbito e ficaram presas as ferragens. O Corpo de Bombeiros de Tauá foi acionado para resgatar os corpos que posteriormente foram identificados como: Omar Falcão Soares, 67 anos, e Alexandre Barbosa Soares, pai e filho, residentes em Fortaleza. A BR-020 se encontra interditada. Com informações do Repórter Abraão Barros e fotos de internautas

Tiroteio e pânico no Restaurante Paladar na avenida 13 de maio em Fortaleza; um homem foi atingido a tiros

Tiroteio e pânico no Restaurante Paladar em frente ao MCDonald's da Avenida 13 de Maio em Fortaleza. Um homem foi atingido a tiros dentro do Paladar por homens que desceram de um veículo Corolla para executá-lo. Informação não oficial revela que a vítima é o dono do Restaurante. Depois do crime, os  homens  entraram  no carro e fugiram.  Em seguida, quem estava no MCDonald's correu para perto da vítima . A ambulância do SAMU já chegou e nada da polícia. O barulho dos tiros parecia de fogos de artifício. Muita violência para esse fim de noite de domingo.. Atualização.. O Paladar entrou em contato com a gente pelas redes sociais e informou que a vítima foi um cliente. O dono do Restaurante não foi atingido. 

Irmão do prefeito de Caucaia e candidato a reeleição, Naumi Amorim, teria sido preso suspeito de crime eleitoral com grande quantidade de dinheiro. Polícia Federal não confirma prisão

 A abordagem foi realizada pela Polícia Civil e por se tratar de possível ilícito eleitoral. Ele teria sido encaminhado para a Polícia Federal juntamente com três secretários da Prefeitura. Além do dinheiro, cerca de 1 milhão de reais, foram apreendidos “Livros-caixas” da contabilidade. Por enquanto não foi confirmada a prisão pela Polícia Federal. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, se foi para a PF, tem todo um procedimento de formalidades, desde ouvir o conduzido, testemunhas, analise do que foi apreendido etc. A PF não informa nome de pessoas. O site Ceará é Notícia entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do candidato a fim de saber se o mesmo vai se manifestar.