Pular para o conteúdo principal

*Fortaleza Limpa: Jogo do Ferroviário no PV recebe ação ambiental inédita neste domingo (19/05)*

_Atividades incluem coleta de materiais, Campeonato de Reciclagem e abordagem de conscientização junto aos torcedores_ A partida entre Ferroviário e ABC neste domingo (19/05), pela Série C do Campeonato Brasileiro, vai contar com uma ação especial do Fortaleza Limpa diretamente no Estádio Presidente Vargas, em uma iniciativa ambiental inédita na gestão. O objetivo é envolver a população e promover a conscientização socioambiental. A praça esportiva receberá um estande, que estará montado nos arredores do estádio, para coletar materiais recicláveis, promovendo um Campeonato de Reciclagem. Ao final, o melhor resultado será divulgado no placar e nas redes sociais. Agentes ambientais da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) também vão marcar presença, por meio do Plano de Educação Ambiental e Sanitária (Peas). Eles farão uma abordagem junto aos torcedores para orientar sobre o novo programa Fortaleza Limpa, a importância da reciclagem e do descarte correto do lixo. Os agentes tam

Fossil retorna aos estúdios e lança novo disco, repleto de questionamentos e experimentalismos



Intitulado “4”, o álbum foi gravado e produzido em Fortaleza e São Paulo e conta com seis faixas que exploram, entre ritmos e distorções, o atual cenário de incertezas em meio à pandemia


Após um hiato de cinco anos, a banda Fossil volta aos estúdios para a gravação do seu quarto álbum, que já está disponível nas principais plataformas digitais. O grupo, que surgiu na cena independente cearense em 2004, foi um dos pioneiros na cidade ao levar o rock para o contexto da música instrumental e experimental, conquistando público e espaço nos principais festivais do Nordeste e São Paulo. Intitulado “4”, este novo trabalho foi gravado à distância pelo quarteto, formado por cozilos Vitor e rodrigo éh @rudriquix, em Fortaleza, e Klaus Sena e Victor Bluhm, na capital paulista. O disco também conta com a participação de músicos como Negro Leo, Thomas Harres, Clau Aniz, Clarisse Aires e Gabriel de Sousa. 


Conforme explica cozilos Vitor, guitarrista e um dos fundadores da Fossil, o álbum, que possui seis faixas, tem como fio condutor a urbanicidade brasileira, com seus contrastes, desigualdades, peculiaridades e, principalmente, os sentimentos que esses grandes centros urbanos evocam. Como a gravação e a produção de “4” ocorreu no período da pandemia, esse processo criativo, entre dúvidas e (in)certezas, torna-se ainda mais evidente.  


“Esse é um disco de reencontro em meio a todo esse caos em que estamos vivendo, o que não deixa de ser uma dualidade de sentimentos. É a alegria de estar produzindo algo novo depois de cinco anos, mas, ao mesmo tempo, temos muitas dúvidas sobre o futuro. O álbum tem ritmos que podem ser dançados, despertando um sentimento obscuro ou até uma possibilidade de luz no fim de túnel. Tudo com um quê de ironia, humor denso e essa mistura de otimismo e pessimismo”, destaca cozilos Vitor.   


Já o baixista Klaus Sena explica que a inspiração para “4” vem em boa parte de gravações antigas de jazz, com o improviso conduzindo todas as canções, além de ser um “mergulho interior de sentimentos, sonhos e lembranças”, como o artista faz questão de ressaltar.  


Novas formas de criar


Pela primeira vez na história da Fossil, a criação de um álbum foi feita de maneira diferente em relação aos três primeiros trabalhos, Desconforto (2004), Insônia (2008) e Mocumentário (2012), muito em razão da separação geográfica e também pela pandemia. Se antes, as composições nasciam a partir de encontros e convivências, que posteriormente eram trabalhadas pelo grupo no estúdio, no “4”, os músicos acabaram encontrando um formato diferente, mas sem perder a essência que sempre norteou o processo criativo da Fossil, como destaca rodrigo éh @rudriquix.

“Neste trabalho, tivemos que buscar uma nova maneira de criação, um processo um pouco mais frio, até, mas sempre buscando não perder o calor do improviso”, reforça. Victor Bluhm, por sua vez, também destaca o aspecto livre que norteou este álbum. O improviso, que antes era trabalhado entre os integrantes, fluiu naturalmente na própria gravação das músicas, tudo “take one”.


O resultado, para rodrigo éh @rudriquix, é um “pós-rock brasileiro”, que por sua vez também passeia por estilos e climas diferentes, na tentativa de narrar distâncias imensuráveis de um novo momento da humanidade, que afetou – e afeta – diretamente o quarteto cearense. “Foi tudo no nosso tempo, no ritmo natural das coisas, que começou ainda em 2019”, ressalta.

Assim, nesse misto de sentimentos, que os integrantes comemoram o retorno do grupo com o disco “4”, mesmo nesse período de incertezas, uma vez que a arte não deixa de ser uma maneira de questionar e transformar a realidade em que vivemos atualmente. “Mais do que nunca, é importante que cada um esteja ligado no que acontece na sua própria cidade, no seu bairro, nas cenas, nos trabalhos e comunidade/coletivos das quais fazemos faz parte. Apoie iniciativa independente e chegue junto”, finaliza cozilos Vitor.

   


Faixa a faixa, por cozilos Vitor 


1. Escopo 26: uma colagem de mensagens de Whatsapp trocadas entre os músicos durante o processo de produção e gravação


2. Lombra 8 y 9: um pós-punk que poderia ser trilha sonora de um passeio urbano, que deságua em uma alvorada pós-noitada... uma espécie de atravessar a noite


3. Sta Quitéria Nuclear Plant: vagalume radioativo atravessa fumaça roxa na luz baixa de um abajur nuclear. 


4. Lombra 14 cHIp-párarãn: dark dub qual é a sua máscara? 


5. Sala 18: canção de ninar pós-verdade, polirritmia de arcos, ferros, percussões, guitarra e sintetizador.


6. Petróleo da Sabi no Pé: podia ser um pop, passinho perplexo de auto-ironia pessimista.



FICHA TÉCNICA: Fossil - 4 (2021)


Produzido por Fossil

Gravado entre Abril de 2019 e Fevereiro de 2021 nos estúdios Índigo Azul (SP), por Klaus Sena |  studio lo-fi messê (CE), por cozilos Vitor e rodrigo éh @rudriquix | Trincheira Residência (CE), por Clau Aniz.

Mixado por Klaus Sena no Estúdio Índigo Azul

Produção executiva e produção fonográfica - Ana Carol Azeredo

Selo Índigo Azul


Escopo 26 

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm

rodrigo éh @rudriquix - Samples e Sintetizador


Lombra 8y9

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm

Victor Bluhm - Bateria; Percussões Eletrônicas

Klaus Sena - Baixo; Guitarra; Batida Eletrônica; Piano; Sintetizador

Cozilos Vitor - Sintetizador

rodrigo éh @rudriquix - Guitarra

Thomas Harres - Percussões


Sta Quitéria Nuclear Plant - part. Clau Aniz, Clarisse Aires, 131el

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm, Clau Aniz, Clarisse Aires, 131el

Victor Bluhm - Bateria; Percussões;

Klaus Sena - Baixo;

Rodrigo éh @rudriquix - Órgão;

Clau Aniz - Clarineta;

Clarisse Aires - Flauta;

131el - Sax Barítono


Lombra 14, cHIp-párarãn - part. Negro Leo

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, Rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm, Negro Leo

Negro Leo - Voz

Victor Bluhm - Bateria; Percussões

Klaus Sena - Baixo; Piano; Percussões

Cozilos Vitor - Guitarras

rodrigo éh @rudriquix - Sintetizador, Escaleta e Samples


Sala 18, 42 bilionários - part. Thomas Harres

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm, Thomas Harres

Victor Bluhm - Bateria

Klaus Sena - Baixo; Didjeridoo

Thomas Harres - Percussões; Ruídos

Cozilos Vitor - Guitarra Preparada

rodrigo éh @rudriquix - Sintetizador


Petróleo da Sabi no Pé

Composta por cozilos Vitor, Klaus Sena, rodrigo éh @rudriquix, Victor Bluhm

Cozilos Vitor - Voz; Guitarras;

Klaus Sena - Baixo; Batida Eletrônica;

Victor Bluhm - Percussões Eletrônicas;

rodrigo éh @rudriquix - Sintetizador; Samples


Serviço:

Serviço:

Lançamento disco 4, Fossil

Dia: 16 de abril 2021

Onde: https://tratore.ffm.to/fossil4 

Saiba mais:

@fossilquatro

@_indigoazul

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340

CONVOCAÇÃO:

  A SOSERVI - Sociedade de Serviços Gerais Ltda, CNPJ 09.863.853/0010-12, Convoca o funcionário JONAS GADELHA FERNANDES , para comparecer à sede da empresa para resolver assunto de seu interesse. Prazo de 72hs. Endereço: Rua: Dr. Jose Lourenço  – 2530 – Joaquim  Távora

Nota de pesar

  A PRT-7 manifesta o mais profundo pesar pela morte dos servidores aposentados José Maciel da Silva e José Siqueira de Amorim. José Maciel da Silva faleceu em 22 de janeiro. Sua última lotação foi no Setor de Arquivo desta Procuradoria Regional do Trabalho. O servidor José Siqueira Amorim faleceu em 28 de fevereiro e encerrou a carreira na Secretaria da Coordenadoria de 2º Grau. Ao tempo em que se solidariza com os familiares e amigos, a PRT-7 reconhece a valorosa contribuição de ambos enquanto atuaram nesta instituição.