Pular para o conteúdo principal

MPF, MPCE e Defensoria ajuízam ação para Prefeitura de Fortaleza retomar aulas presenciais em escolas públicas municipais

 Foto mostra mão de um pessoa que está escrevendo a palavra Educação em um quadro negro utilizando um giz.

O Ministério Público do Estado do Cerará (MPCE), o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública do Estado do Ceará (DPCE) ajuizaram ação civil pública, na última quinta-feira, 22 de abril, para que o Município de Fortaleza garanta às crianças do ensino infantil e fundamental das escolas públicas municipais o direito de ter aulas presenciais nas séries já autorizadas oficialmente. Para isso, a ação requer à Justiça do Estado do Ceará que determine que, em sete dias, as atividades sejam retomadas no 1º e o 2º anos do ensino fundamental, no berçário e na educação infantil, em conformidade com os protocolos de segurança sanitária.  

Além das aulas nas séries já liberadas, a ação requer o retorno, também no prazo de sete dias, das séries que vierem a ser autorizadas em decreto estadual e municipal. Nos dois casos, a retomada deve ser feita com observância rigorosa dos protocolos, com realização de adequações necessárias, monitoramento, fiscalização e implementação do “Plano de Contingência para Retorno das Aulas Presenciais”, proposto pelo Município de Fortaleza.  

Em caso de descumprimento, a  ação pede a imposição de pagamento de multa no montante mínimo de R$100 mil por dia de atraso de providências e condenação de R$ 5.000, por cada unidade escolar em desacordo com as orientações.  

Os alunos da rede pública municipal de Fortaleza estão sem aula presencial desde 19 de março de 2020, enquanto estudantes da rede privada frequentaram aulas presencialmente durante meses no ano passado e em 2021. A distinção de tratamento não encontra amparo jurídico, uma vez que há autorização sanitária para o retorno em modo híbrido. A diferenciação representa grave violação ao princípio da igualdade, já que aumenta a distância social, econômica e pedagógica entre estudantes das duas redes.  

Para o MPCE, o MPF e a DPCE,  o Município de Fortaleza fere os princípios da isonomia, da legalidade e do melhor interesse da criança, ao se omitir em prestar o serviço. Há, ainda, não-observância do teor dos Decretos Estadual nº 34.031/2021 e Decreto Municipal nº 14.981/2021, que autorizam o retorno. Além disso, com os pais trabalhando fora de casa, as crianças são inseridas em um contexto de maior vulnerabilidade social, inclusive à violência. Neste mês, MPCE e DPCE, em conjunto com a Secretária de Educação do Município, visitaram pelo menos 11 escolas municipais, onde se verificou que, em termos gerais, há situação favorável à retomada das aulas presenciais nas séries autorizadas segundo decisão da autoridade sanitária, sendo necessários ajustes simples a serem feitos.  

Pelo MPCE, a ação foi ajuizada através dos promotores de Justiça Francisco Elnatan Carlos de Oliveira, José Aurélio da Silva, ambos com atuação da área de Educação; Eneas Romero de Vasconcelos, coordenador do Centro Operacional da Saúde (Caosaúde) e do Grupo de Trabalho Covid do MPCE; Lucy Antoneli (138ª Promotoria de Justiça de Fortaleza); Ana Cláudia Uchoa (137ª Promotoria de Justiça de Fortaleza); e pelas procuradoras de Justiça Elizabeth Almeida, coordenadora do Centro Operacional da Educação (Caoeduc), e Isabel Porto, coordenadora-auxiliar do Caosaúde. Pela DPCE, assinaram o documento as defensoras públicas Mariana Lobo, supervisora do Núcleo de Direitos Humanos da instituição; e Juliana Nogueira Andrade, supervisora do Núcleo da Infância e da Juventude da Defensoria em Fortaleza. Representando o MPF, manifestaram-se os procuradores da República Alessander Sales, Nilce Cunha Rodrigues, Ricardo Magalhães de Mendonça e Márcio Andrade Torres.

Com informações do MPCE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pá eólica- Gravíssimo acidente na BR-020, em Parambu, deixa dois mortos ; uma das vítimas sócio do Floresta Bar

    Um gravíssimo acidente foi registrado no inicio da manhã deste domingo, 30, na BR-020, KM 45, à altura da localidade de Pau Preto, Parambu. Segundo as informações preliminares, um carro de passeio de luxo, Modelo Audi, ano 2019, cor cinza, placas PBU- 1521, inscrição de Brasilia, DF, colidiu com uma carreta que transportava peças de energia eólica e acabou sendo praticamento esmagado. Segundo ainda informações preliminares, no veículo duas pessoas vieram a óbito e ficaram presas as ferragens. O Corpo de Bombeiros de Tauá foi acionado para resgatar os corpos que posteriormente foram identificados como: Omar Falcão Soares, 67 anos, e Alexandre Barbosa Soares, pai e filho, residentes em Fortaleza. A BR-020 se encontra interditada. Com informações do Repórter Abraão Barros e fotos de internautas

Tiroteio e pânico no Restaurante Paladar na avenida 13 de maio em Fortaleza; um homem foi atingido a tiros

Tiroteio e pânico no Restaurante Paladar em frente ao MCDonald's da Avenida 13 de Maio em Fortaleza. Um homem foi atingido a tiros dentro do Paladar por homens que desceram de um veículo Corolla para executá-lo. Informação não oficial revela que a vítima é o dono do Restaurante. Depois do crime, os  homens  entraram  no carro e fugiram.  Em seguida, quem estava no MCDonald's correu para perto da vítima . A ambulância do SAMU já chegou e nada da polícia. O barulho dos tiros parecia de fogos de artifício. Muita violência para esse fim de noite de domingo.. Atualização.. O Paladar entrou em contato com a gente pelas redes sociais e informou que a vítima foi um cliente. O dono do Restaurante não foi atingido. 

Irmão do prefeito de Caucaia e candidato a reeleição, Naumi Amorim, teria sido preso suspeito de crime eleitoral com grande quantidade de dinheiro. Polícia Federal não confirma prisão

 A abordagem foi realizada pela Polícia Civil e por se tratar de possível ilícito eleitoral. Ele teria sido encaminhado para a Polícia Federal juntamente com três secretários da Prefeitura. Além do dinheiro, cerca de 1 milhão de reais, foram apreendidos “Livros-caixas” da contabilidade. Por enquanto não foi confirmada a prisão pela Polícia Federal. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, se foi para a PF, tem todo um procedimento de formalidades, desde ouvir o conduzido, testemunhas, analise do que foi apreendido etc. A PF não informa nome de pessoas. O site Ceará é Notícia entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do candidato a fim de saber se o mesmo vai se manifestar.