Pular para o conteúdo principal

Endividamento diminui entre os consumidores de Fortaleza

 

Realizada pela Fecomércio, através do IPDC, a pesquisa também mostra que 41,7% dos consumidores possuem dívidas em atraso

 

De acordo com a Pesquisa do Endividamento do Consumidor de Fortaleza, realizada entre maio e junho de 2021, 74,9% dos consumidores da capital cearense possuem algum tipo de dívida. A taxa é menor 4,7 pontos, comparado aos meses de março e abril do mesmo ano, quando marcou 79,6%, o maior percentual em 14 meses. Em contrapartida, a inadimplência aumentou em comparação a Mar-Abr/21, chegando a 15,4%. A pesquisa é realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC) da Fecomércio-Ce.

Segundo o levantamento, as mulheres apresentam índices de endividamento mais elevados (77%), com faixa de renda familiar menor que cinco salários mínimos (75,9%), idade entre 24 e 34 anos (79,2%) e que detêm apenas o Ensino Fundamental (76,5%).

Inadimplência

Os consumidores que não terão condições de pagar suas dívidas, os chamados inadimplentes, conforme a pesquisa, são 15,4%, o percentual mais elevado em 14 meses. Em comparação a Mar-Abr/21, o aumento foi de de 4,9 pontos percentuais, frente aos 10,5% do bimestre anterior.

Descontrole financeiro, desemprego, redução de rendimentos/salários, aumento de gastos essenciais, além de imprevistos são os principais fatores que refletiram no desequilíbrio orçamentário dos consumidores, segundo mostra a pesquisa.

Além disso, fatores como o aumento na taxa de desemprego e a piora das condições de renda refletem em parcela significativa da população, o que implica em contas que vão sendo deixadas de lado.

Dívidas em atraso

Assim como a inadimplência, a taxa percentual de consumidores com dívidas em atraso na Capital cearense também aumentou, chegando a 30,9%, a maior dos últimos 14 meses. No bimestre anterior, Mar-Abr/21, esse percentual foi de 24,4%. Portanto, houve alta de 6,5 pontos percentuais entre aqueles que estão com dívidas em aberto. A média de consumidores nesta condição financeira no período de janeiro a junho de 2021 é de 26,2%.

Vale destacar que os fortalezenses adimplentes em Mai-Jun/21 representam um contingente de 44%. Dentre os consumidores com dívidas em atraso, que são 30,9%, os que estão inadimplentes são 15,4% e só 15,5% possuem condições de pagar as obrigações.

Os motivos que levaram os consumidores fortalezenses a estarem com dívidas em atraso, em primeiro lugar está a aplicação dos recursos em outras finalidades (53%), uma espécie de escolha do que pagar; seguindo por desequilíbrio financeiro, citado por 42%; contestação de valores (6,4%) e esquecimento de efetuar o devido pagamento (3,4%).

Comprometimento de renda

Em Mai-Jun/21, 42,6% dos consumidores afirmam estar com a sua renda comprometida para pagamento de dívidas. A taxa é menor 3,1 pontos percentuais em comparação a Mar-Abr/21 (45,7%). O tempo médio em que uma família compromete a renda familiar para pagamento de dívidas gira em torno de 3 meses e um ano, conforme 37,8%, dos entrevistados. Porém 34% possuem dívidas de longo prazo, por mais de um ano. E os que compram com um menor tempo para quitar as dívidas levam até 3 meses (28,2%).

Ainda segundo a pesquisa, 41,7% afirmam que estão com dívidas em atraso por um tempo acima de 90 dias; 22,6% possuem contas sem quitar de 31 a 60 dias; 21,2% por até 30 dias e 14,5% já estão com dívidas atrasadas por um período entre 61 e 90 dias.

Os itens mais comprados a prazo são de primeira necessidade: alimentação, segundo 59,9% dos consumidores; seguido de aluguel (27,2%), tratamento de saúde (23,5%) e educação (15,2%).

A forma predominante da compra a prazo é o cartão de crédito, resposta de 74,3% dos entrevistados. A tecnologia confirma outra tendência. O percentual de usuários de cheque especial e cheque pré-datado é cada vez menor, sendo a opção para apenas 0,3% e 0,2% fortalezenses, respectivamente, na hora das compras a prazo. O uso de PIX ainda não é computado na pesquisa.

Valor das dívidas e motivos para o desequilíbrio financeiro

O valor das dívidas em atraso, segundo a pesquisa, é em sua maioria entre R$ 501 a R$ 1 mil (23,5%) e 16,6% devem entre R$ 1.001 e R$ 1.500. As dívidas com valor mais elevado em atraso atingem um contingente de 7,1%, com valores entre R$ 3.001 a R$ 5 mil. Respondem por dívida expressiva, de R$ 2.001 a R$ 3 mil, 10,7%.

Os motivos principais que levaram os consumidores fortalezenses ao desequilíbrio financeiro, em Mai-Jun/21, são liderados pelo desemprego (28,6%). A falta ou falha no acompanhamento das despesas, com a realização de um orçamento e controle dos rendimentos e gastos também teve peso significativo, afetando 22,8%.

A redução dos ganhos com a atividade remunerada (17,5%), o aumento de gastos essenciais e o surgimento de novas necessidades (11,6%) também influenciaram negativamente a situação financeira, sobretudo de consumidores de condição social mais vulnerável de Fortaleza.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Irmão do prefeito de Caucaia e candidato a reeleição, Naumi Amorim, teria sido preso suspeito de crime eleitoral com grande quantidade de dinheiro. Polícia Federal não confirma prisão

 A abordagem foi realizada pela Polícia Civil e por se tratar de possível ilícito eleitoral. Ele teria sido encaminhado para a Polícia Federal juntamente com três secretários da Prefeitura. Além do dinheiro, cerca de 1 milhão de reais, foram apreendidos “Livros-caixas” da contabilidade. Por enquanto não foi confirmada a prisão pela Polícia Federal. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, se foi para a PF, tem todo um procedimento de formalidades, desde ouvir o conduzido, testemunhas, analise do que foi apreendido etc. A PF não informa nome de pessoas. O site Ceará é Notícia entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do candidato a fim de saber se o mesmo vai se manifestar. 

Boletim de saúde sobre Normando Sóracles

 Boletim manhã 05/12 Normando Soracles segue internado na UTI do hospital São Camilo em Fortaleza onde deu entrada na noite do dia 01/12. Encontra-se sedado, se mantendo clinicamente estável após intubação orotraqueal realizada na manhã do dia 03/12. Apresentou melhora significativa do quadro respiratório e dos exames laboratoriais em comparação ao dia anterior. Mantendo-se sem febre e sem leucocitose. Vem respondendo satisfatoriamente a pronação (técnica que consiste em alternar a posição de deitada) mais conhecida como "posição do nadador". Novos exame serão realizados ao fim desta tarde.   Seguimos cada vez mais confiantes na sua plena recuperação. Tendo a convicção plena que Deus é conosco!