Pular para o conteúdo principal

Pesquisa da UFC conclui que medicamentos do coquetel anti-HIV não têm eficácia no tratamento da covid-19

 Pesquisa desenvolvida pelo Núcleo de Biomedicina (NUBIMED), da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará, em parceria com outras instituições, concluiu que, ao contrário do que sugeriam pesquisas preliminares, medicamentos que compõem o coquetel contra o vírus HIV não têm eficácia no tratamento da covid-19. O protocolo do estudo aplicou uma combinação dos fármacos tenofovir e emtricitabina, utilizados no tratamento de pessoas com o vírus da aids, mas as substâncias não alteraram significativamente o quadro sintomático em pacientes com o novo coronavírus.

Imagem: imagem do vírus da covid-19
Estudo testou em pacientes com suspeita de covid-19 os fármacos tenofovir e emtricitabina (Imagem: Licença Creative Commons)

“A pesquisa tem suas limitações e sugerimos novos estudos com protocolos diferentes, mas podemos afirmar que não há recomendação para o uso desses medicamentos no tratamento de pacientes com a covid-19”, conclui o Prof. Aldo Ângelo Lima, coordenador do NUBIMED e principal investigador do estudo, publicado no fim de 2021 no European Journal of Respiratory Medicine.

Os dois fármacos foram testados porque estudos de simulação computacional e testes com animais experimentalmente infectados com o vírus SARS-CoV-2 indicavam que eles conseguiam inibir a enzima polimerase de RNA do vírus da covid-19, que é usada pelo SARS-CoV-2 para se multiplicar. Dessa forma, acreditava-se que os medicamentos poderiam reduzir a infecção e, consequentemente, a gravidade da covid-19.

A hipótese foi testada de novembro de 2020 a julho de 2021 no Ceará, com 227 pacientes encaminhados ao Hospital São José de Doenças Infecciosas. Todos eles apresentavam suspeita clínica de infecção respiratória por SARS-CoV-2, de intensidade leve a moderada.

Os pacientes foram divididos em três grupos, acompanhados no hospital por um período de 10 dias. No primeiro grupo, 75 pacientes foram receitados com tenofovir, uma dose por dia de 300 mg. No segundo grupo, 74 pacientes receberam a mesma dose de tenofovir junto com uma dose de emtricitabina (200 mg/dia). O terceiro grupo foi formado por 77 pacientes tratados apenas com vitamina C (500 mg/dia).

Os pacientes foram acompanhados por profissionais médicos ao longo do estudo. Nesse período, amostras de sangue e de secreções nasais foram coletadas para avaliação laboratorial no Núcleo de Biomedicina da UFC. Além dos dados laboratoriais, dados demográficos, sintomas clínicos e relatos de eventos adversos ao tratamento foram registrados.

Imagem: Prof. Aldo Lima em laboratório
Prof. Aldo Lima, principal investigador do estudo, conclui que medicamentos testados não são recomendados para tratamento de covid-19 (Foto: Viktor Braga/UFC)

Os resultados da pesquisa mostraram que, a despeito das evidências preliminares, o tenofovir e a emtricitabina não geraram diferenças nos sinais e nos sintomas da doença em pessoas que receberam essas substâncias em relação ao grupo de pacientes que receberam apenas vitamina C.

O Prof. Aldo Ângelo pondera que a pesquisa foi feita apenas com pacientes com quadro clínico leve e moderado e que a utilização dos medicamentos foi praticada em pessoas no sétimo dia de infecção pelo novo coronavírus, situações que ele aponta como limitações do estudo. Novas pesquisas com pessoas em quadro clínico grave e com início do protocolo no terceiro ou quarto dia do aparecimento dos sintomas são recomendadas, avalia o professor.

O estudo contou com a participação de pesquisadores do Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), do Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (USP-Ribeirão Preto), da Faculdade de Medicina (USP-Ribeirão Preto) e da Rede Vírus, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340