Pular para o conteúdo principal

Equipe médica e Serviço Social facilitam a comunicação entre pacientes e familiares


O aumento de ocorrências por síndromes gripais obrigou as unidades de saúde a adotarem novos protocolos sanitários para proteger pacientes e colaboradores. Nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estaduais geridas pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), uma dessas medidas é o reforço na comunicação entre quem está internado e seus familiares.

Em situações nas quais os pacientes estão com quadro de saúde mais grave, a comunicação com a família é feita pela equipe médica responsável. Em casos menos complexos, o contato é realizado por meio de boletim médico – enviado pela equipe de Serviço Social aos familiares.

O diálogo é feito por ligação, aplicativo de mensagens ou de forma presencial. Além disso, a equipe de Serviço Social faz chamadas de áudio ou vídeo com pacientes que estão com quadro de saúde estável e em condição de falar. A comunicação, seja pela equipe médica ou pela área responsável, é feita após 24 horas em que o usuário é regulado para um leito em um hospital da rede de saúde.

Crianças, adolescentes e pessoas com deficiência podem ter acompanhante nas UPAs. Já os idosos, somente em casos específicos, quando diagnosticados com mal de Alzheimer, por exemplo, e mediante autorização do médico responsável a fim de evitar casos de contaminação por covid-19.

Atendimento humanizado

A equipe de assistentes sociais também passou a participar da reabilitação de pacientes com covid-19, promovendo momentos de humanização durante a recuperação dos acometidos pela síndrome respiratória. “Assistentes sociais, assim como médicos e enfermeiros, passaram a fazer chamadas de vídeo entre o paciente e a família. Mesmo com a distância, percebemos que esse simples contato promove uma recuperação mais rápida e eficaz do paciente, que se sente mais motivado. Essas iniciativas devem continuar mesmo após a pandemia”, diz Danielle Brito, coordenadora do Serviço Social dos equipamentos.

A equipe da área assumiu a missão de ser um elo entre pacientes e famílias e de compartilhar histórias de superação. Na UPA Canindezinho, a assistente social Maria Fernandes Escobar rememora um atendimento em que o paciente, com medo da intubação, não queria ser internado. Após conversas, acolhimento e orientação da equipe profissional, o usuário decidiu permanecer na unidade.

“O paciente ficou em descanso na UPA por quase uma semana e, quando chegou a vaga para um leito em um hospital, ele não queria ir. Disse que, na UPA, se sentia em casa, que confiava na equipe e que tinha medo de como seria em outro lugar”, lembra Escobar.

Transparência
Além dos médicos que desempenham as atividades comuns da profissão, as UPAs possuem profissionais da Medicina que atuam em gestão, como os chefes de equipe. Uma das grandes responsabilidades da função é orientar a equipe médica responsável pelo paciente que está em leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) quanto à comunicação com familiares do internado.

Igor Carvalho é médico chefe de equipe na UPA Conjunto Ceará e explica como é realizado esse contato. “A ligação é feita pelo menos uma vez ao dia. Relatamos as informações principais sobre o quadro clínico do paciente, sua evolução, se ele está intubado ou em ventilação mecânica, os resultados de exames e o uso dos remédios”.

Quando as notícias acerca do quadro dos internados são delicadas ou não tão satisfatórias, é preciso muita cautela na hora de informar à família. “Geralmente, somos objetivos, porém, nesse momento, é preciso uma abordagem mais humanizada. Por isso, buscamos ouvir mais a família e trabalhar a aceitação. Notícias de óbito nunca são ditas por telefone, apenas presencialmente. Em suma, nossa comunicação busca ser a mais clara e humanizada possível”, pontua.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340

CARIRI GARDEN SHOPPING

  Para evitar aglomeração e atender a todos que buscam garantir as compras do Natal, as lojas âncoras (C&A, Riachuelo, Renner, Marisa e Americanas) do Cariri Garden Shopping funcionarão com horário diferenciado ao longo da semana. De hoje, 20 de dezembro, até o dia 23, o horário de funcionamento seguirá até às 23h.  Já o Mercadinho São Luiz, estará aberto ao publico nos dias 22 e 23, até às 23h.