terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A formandos, Danilo ressalta papel da educação na geração de empregos e industrialização do Ceará

Imagem inline 1


      Danilo Forte e Edna Gome, concludente do curso de Eletricista Industrial


Na manhã desta segunda-feira, 6, o deputado federal Danilo Forte (PSB-CE) dirigiu uma saudação especial aos alunos concludentes de diversos cursos ofertados pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Campus avançado do Pecém. A solenidade também marcou a acolhida de estudantes dos cursos de Almoxarife, Eletricista Industrial, Eletromagnetismo Básico, Introdução a Instalações Elétricas, Metrologia, Operador de Processos Químicos Industriais e de Estações de Tratamentos de Águas e Efluentes. 

"Com o fortalecimento do IFCE Pecém vemos o horizonte que se abre no coração de uma das regiões mais importantes do Ceará, próxima ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), instalado na Zona de Processamento de Exportação (ZPE), única em operação no País. Com o Projeto de Lei 5759, que dá uma abertura maior com a participação das ZPEs no mercado interno, temos uma vantagem do ponto de vista geográfico a outras regiões, pois estamos localizados na saída do Canal do Panamá. Esse porto, perto de onde saem os novos profissionais do IFCE, tende a ter um crescimento ainda maior com esse espaço geográfico que nós ocupamos, porque só para descer e subir qualquer carga são mais 9 mil KM que saem daqui da parte Norte do País até a área Sul, no Paranaguá", ressaltou o parlamentar.

De acordo com o deputado cearense, toda a sociedade precisa ser mobilizada "para que identifiquem aqui uma escola de grande aprendizado, um investimento que precisa ser feito, porque essa, sem sombra de dúvidas, é a alternativa que nós temos e ela precisa ser bem cuidada, porque senão, de novo nós vamos gerações de exportações de cearenses. E se a gente trás para cá equipamentos como esses, se a gente luta para trazer para cá as indústrias, se a gente abre novas fontes de investimentos e se a gente tem qualidade de mão de obra, nós vamos ocupar esses espaços, pois uma das grandes frustrações dos trabalhadores que trabalharam aqui na siderúrgica e na térmica é porque estão desempregados hoje e estão desempregados porque não tiveram a condição que vocês tem de estudar, tem que ter qualificação para segurar o emprego e tem que estar evoluindo", lembrou.
Enviar

Deixe seu comentário: