Pular para o conteúdo principal

Mais de dois milhões de cearenses apresentam algum tipo de deficiência

No Ceará, 27,69 por cento da população (8,4 milhões) apresenta alguma deficiência visual, auditiva, mental e motora, ou seja, existem mais de dois milhões de pessoas com pelo menos uma das deficiências investigadas pela pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados, após analisados pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado, constam do “Enfoque Econômico nº 23. O trabalho acaba de ser disponibilizado na páginahttp://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/enfoque-economico/enfoque-economico.

O índice do Ceará é superior ao do Brasil e do Nordeste, respectivamente, de 23,92 por cento e 26,63 por cento. O trabalho do IPECE tem por objetivo apresentar dados do Ceará e, sempre que possível, compará-los com os do Nordeste e do Brasil. Vale observar que para chegar aos resultados o IBGE utilizou o método de amostragem e que as informações levantadas ainda são consideradas preliminares, pois ainda não foram submetidos aos processos de crítica e imputação previstos para a apuração do Censo Demográfico 2010.

No país, o tipo de deficiência mais comum foi à visual, com um total de 18,76 por cento, sendo que o Nordeste e o Ceará apresentaram proporções ainda maiores, com 21,19 por cento e 22,15 por cento, respectivamente. Quando se considera o grau da deficiência visual, 0,28 por cento da população brasileira declarou ser permanentemente incapaz de enxergar. Entre 1,8 milhão de pessoas no Ceará com algum grau de deficiência visual, mais de 24 mil se declararam cegos. Dos mais de 526 mil de cearenses com algum grau de deficiência auditiva, pouco mais de 16 mil pessoas afirmaram ser surdas.


Fonte: Ipece

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…