sexta-feira, 20 de abril de 2018

HOJE - Fortaleza inicia campanha de vacinação contra Influenza

As vacinas estarão disponíveis nos postos de saúde, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30

 Prefeitura de Fortaleza inicia hoje (20/04), por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a campanha de vacinação contra a influenza em todos os Postos de Saúde da Capital. As vacinas estarão disponíveis nas unidades de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30. Para reforçar a campanha durante o final de semana, nos dias 21 e 22 de abril, a SMS vai disponibilizar a vacinação em sete Postos de Saúde, no horário de 8h30 às 16h30, nas seguintes unidades: Posto Carlos Ribeiro (Regional I), Paulo Marcelo e Irmã Hercília (Regional II), Anastácio Magalhães (Regional III), Luis Costa (Regional IV), José Paracampos (Regional V) e Messejana (Regioinal VI).

Durante a campanha, serão vacinadas pessoas com idade de 60 anos ou mais; crianças na faixa etária de seis meses a cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da área de saúde que atuam no enfrentamento às influenzas (emergências de hospitais, UPAs, Postos de Saúde e serviços que atendam pessoas com suspeita da doença). Os trabalhadores receberão a vacina no seu local de trabalho. Também serão vacinados os professores das escolas públicas e privadas (mediante comprovação profissional); grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (estes deverão apresentar uma receita, recente, de medicação que comprove a situação clínica, ou solicitação médica).

A meta para este ano de 2018 é imunizar 630 mil pessoas que compõem o grupo prioritário, estabelecido pelo Ministério da Saúde. Em 2017, o Município imunizou cerca de 592 mil pessoas. A vacina disponível nas unidades protege contra três sorotipos: Influenza A (H1N1, H3N2) e Influenza B. Estudos do Ministério da Saúde comprovam que através da imunização de uma pessoa cria-se uma rede de proteção contra a doença, alcançando de 11 a 17 indivíduos, o que chamamos de “imunização de rebanho”, quando a pessoa vacinada deixa de transmitir a doença e passa a proteger as pessoas do seu convívio.

Além da imunização, a população pode adotar cuidados básicos para evitar a Influenza, tais como: lavar as mãos com água e sabão com frequência; evitar levar as mãos ao rosto após pegar em maçanetas, corrimão de escadas, botões de elevadores, dentre outros; sempre que possível, utilizar álcool em gel a 70%; não compartilhar objetos de uso pessoal, como toalhas de banho, talheres e copos; manter os ambientes bem ventilados e evitar aglomerações; utilizar lenços descartáveis ao tossir ou espirrar; usar máscaras descartáveis caso apresente sintomas de gripe ou ao entrar em contato com pessoas doentes.

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.
Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves. A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga, é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

É importante ressaltar que, ao apresentar sintomas da doença, a população deve buscar atendimento nos Postos de Saúde, com destaque para as 24 unidades de referência com sala de observação, além das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital.

O atendimento nas unidades municipais segue o protocolo definido pelo Ministério da Saúde e os profissionais terão acesso à capacitação para reforço e atualização dos conhecimentos para o atendimento adequado aos pacientes com sintomas de Influenza. Para o tratamento da doença o medicamento já está disponível nas unidades de saúde de Fortaleza.

Em Fortaleza, de janeiro a abril de 2018, foram confirmados 21 casos de Influenza (A e B), com um óbito. Em 2017, foram registrados 29 casos da doença, com a confirmação de quatro óbitos. Já em 2016, foram confirmados 68 casos, resultando em três óbitos.

Região Metropolitana
Em conjunto com Fortaleza, a vacinação contra a influenza também ocorrerá em outros municípios da Região Metropolitana como Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Eusébio, Aquiraz, Itaitinga e Horizonte.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.