quinta-feira, 5 de abril de 2018

Viver mais e melhor está diretamente ligado ao estilo de vida do indivíduo

No dia 7 de abril é comemorado o Dia Mundial da Saúde e, segundo Dr. André Ramalho Guanabara, é mais um dia para conscientizar as pessoas que a saúde e a longevidade podem estar ao alcance de todos.

A pergunta é simples e complexa, ao mesmo tempo. Você já imaginou como vai estar aos 40 anos de idade? Ou aos 60?  E quando chegar aos 80 anos? As pessoas querem viver cada vez mais e com melhor qualidade de vida, mas nem sempre estão agindo para conquistar isso. Muitas vezes, por acomodação, outras por falta de informação, e outras ainda por faltar-lhes oportunidade.  Mas, e se dissermos que só depende do próprio indivíduo chegar aos 80 anos com saúde para dar e oferecer? O caminho não é rápido nem fácil, mas muito recompensador. Tudo começa pelo estilo de vida escolhido e pela dedicação à saúde física e emocional.

Em 2017, o número de brasileiros chegou a 207 milhões, porque estamos vivendo mais e não porque estão nascendo mais pessoas. Enquanto a taxa de natalidade decresceu 20% na última década, a expectativa de vida cresce 0,5% ao ano e a perspectiva é que em 2025 chegue a 32 milhões o número de pessoas com mais de 60 anos, e até 2060 serão mais de 19 milhões de pessoas acima de 80 anos de idade.

Atualmente, a expectativa de vida no Brasil é de 75,8 anos (fonte IBGE). Alcançar essa idade com saúde é a grande questão. Dados do Ministério da Saúde revelam que uma em cada cinco pessoas no País apresenta quadro de obesidade. A prevalência da doença passou de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016. Sabe o que isso significa? Mais pessoas com diabetes, hipertensão, aumento de doenças cardíacas e câncer.

Uma pesquisa recente, de 2017, do Instituto Qualibest mostrou, que apesar de não praticarem atividades físicas ou manterem uma alimentação saudável, os brasileiros desejam envelhecer com saúde e pretendem viver até 85 anos. O estudo, que envolveu 703 adultos com 18 anos ou mais, ainda revelou que a maioria (92%) dos entrevistados tem medo de envelhecer e que só 43% praticam atividades físicas, 45% cuidam da saúde de forma preventiva e 47% têm uma alimentação saudável.

A boa notícia é que construir qualidade de vida longeva é cada vez mais possível, dependendo quase que completamente do próprio indivíduo. Quando se fala em longevidade é necessário pensar em qualidade de vida ativa, com pilares que devem ser equilibrados são eles: alimentação, atividade física, sono, metabolismo e espiritualidade. Se cada pessoa tiver a consciência e buscar compreender melhor como funciona cada um desses aspectos, o resultado vai ser imediato: uma vida com mais saúde.

O que tem acontecido é que manter uma alimentação correta, ter uma rotina de exercícios físicos e exercer a espiritualidade tem sido cada vez mais desafiador para a maioria das pessoas, justificadas pelas grande quantidade de atividades e responsabilidades do dia a dia. Mas o que é preciso internalizar é que uma vida mais longa e melhor só é possível quando existem escolhas, prioridades e dedicação a todos esses quesitos.

Por isso já sabendo da importância de dedicar-se a todas essas áreas da vida e buscando tornar viável e regular os cuidados com cada uma delas, é que as pessoas podem se apropriar de alternativas que se encaixem com suas rotinas familiares e de trabalho.

O dia mundial da saúde
O principal objetivo desta data é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter uma melhor qualidade de vida. Foi criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1948, devido a preocupação de seus integrantes em manter o bom estado de saúde das pessoas em todo o mundo, e também alertar sobre os principais problemas que podem atingir a população mundial. Oficialmente, o Dia Mundial da Saúde é comemorado em 7 de abril desde 1950.
Dr. André Ramalho Guanabara
·         Médico e Nutrólogo;
·         Mestrando em Biotecnologia pela UNP;
·         Pós-Graduando em Nutriendocrinologia – Academia Dr. Lair Ribeiro;
·         Pós-Graduando Master da Ciência da Fisiologia Humana – Dr. Ítalo Rachid;
·         Membro da Sociedade Brasileira de Estudos da Fisiologia Humana;

·         Especialista em Emagrecimento e Qualidade de Vida.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.