terça-feira, 5 de junho de 2018

Icapuí em destaque no Blog


Ceará lidera exportações de lagosta e Icapuí recebe festival de música e gastronomia para comemorar
Festival da Lagosta ocorrerá de 22 a 24 de junho, nas praias de Barreira e Redonda. Pratos da culinária cearense feitos com o crustáceo serão comercializados a R$ 15.
​(Foto: Divulgação)

Junho começou e com ele foi dada a largada à temporada de pesca de diversas espécies marinhas, inclusive a lagosta. O crustáceo é considerado uma iguaria de luxo em diversas partes do mundo. E o Ceará lidera as exportações do produto.
Só em 2017, o estado comercializou 1,7 mil toneladas de crustáceos, sobretudo lagosta. Enquanto o Pará, segundo maior exportador, apenas 226 toneladas. Dessa forma, o pescado foi responsável por cerca de 80% do valor total do faturamento do Ceará entre os estados exportadores de crustáceos e peixes, ao somar US$ 43,3 milhões.
Mas, apesar de grande parte da produção de lagosta ir para exportação (cerca de 80%), a experiência sensorial de saborear essa deliciosa iguaria com o tempero das melhores cozinhas do litoral leste cearense ainda é incomparável. Por isso, também o sucesso do tradicional Festival da Lagosta de Icapuí, que chega a 12ª edição este ano.
Realizado nas praias de Barreira e Redonda, de 22 a 24 de junho, o evento contará com shows de música ao vivo, exposições de artesanato e uma arena gastronômica onde a lagosta será a grande protagonista. De acordo com Geraldo Menezes, secretário do Grupo de Desenvolvimento do Turismo em Icapuí (GDTur), diversos pratos típicos da culinária cearense serão comercializados a um preço único e bastante convidativo: apenas R$ 15.
“Além de divulgar a gastronomia e ampliar as oportunidades de abertura de canais de comercialização dos produtos expostos, nós consideramos o festival um evento fundamental para aumentar o fluxo de turistas e fortalecer o associativismo empresarial na região”, explica.
E não serão só os visitantes que se surpreenderão com as novidades, não. Ao longo do mês de junho, os empreendedores locais são convidados a participarem de uma oficina gratuita, montada em parceria com a Secretaria de Cultura de Icapuí, que visa ampliar a experiência gastronômica, diversificar o cardápio dos negócios e fortalecer a profissionalização do segmento de turismo.


****  

Projeto para a recuperação de manguezais em Icapuí será lançado dia 7 de junho

A iniciativa atuará  no fortalecimento do protagonismo comunitário, no desenvolvimento de atividades econômicas sustentáveis e na ampliação de diversas tecnologias sociais já implantadas nas etapas anteriores.

Com o objetivo de promover a recuperação de manguezais no município de Icapuí por meio de ações que fomentem a educação ambiental e a conservação do meio ambiente com atuação direta das comunidades locais, será lançado, no próximo dia 7 de junho, às 9h, a IV etapa do Projeto “De Olho na Água”. A solenidade ocorre na Estação Ambiental Mangue Pequeno, na Praia da Requenguela, em Icapuí, e tem o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental.

A apresentação da iniciativa, que contemplará 34 comunidades do município, tem à frente a Fundação Brasil Cidadão para Educação, Cultura, Tecnologia e Meio Ambiente (FBC), instituição constituída em 1996, e que, dentre diversas premiações, foi finalista do Prêmio da Fundação Banco do Brasil em Tecnologias Sociais com o Projeto “De Olho na Água”, em 2017.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL
O projeto atuará no fortalecimento do protagonismo comunitário e de desenvolvimento de atividades econômicas sustentáveis com sete grupos organizados na Rede de Mulheres do município. No que diz respeito às crianças, adolescentes e jovens, a iniciativa terá como foco a educação ambiental continuada nas escolas públicas e na Estação Ambiental Mangue Pequeno por meio de aulas de campo de atividades como observação da vida marinha e silvestre, recuperação de habitat degradados e trilhas ecológicas.

Para as ações de educação ambiental nas escolas públicas, por exemplo, serão utilizados kits de capacitação com cinco cartilhas temáticas e o Atlas Socioambiental. A criação de abelhas nativas sem ferrão, o cuidado e manejo dos meliponários, aliados às ações de recuperação de áreas degradadas, como o manguezal e a mata de tabuleiro, serão temas permanentes nas atividades.

ICAPUÍ
O município de Icapuí, cuja população é estimada em 20 mil habitantes, foi escolhido por possuir importantes atributos de biodiversidade, entre os quais estuário, manguezais, banco de algas e de fanerógamas, que se constituem em locais de abrigo das populações juvenis e berçários da vida marinha. Além disso, estima- se que esta região abriga 10% da população de peixe-boi marinho do Brasil, o mamífero marinho mais ameaçado de extinção no País.

O município é um dos mais significativos representantes das falésias vivas do Grupo Barreiras, com grandes paredões com plataformas e formações de cores e formas variadas. Além da paisagem, o local é rota de aves migratórias que se deslocam do Atlântico Norte à Patagônia, sendo esse território parado natural para a reposição de energias tanto na ida quanto no retorno, o que oferece importante vínculo com o cenário global.

AÇÕES
As ações do projeto contemplam a construção de 65 canteiros bio-sépticos (fossas ecológicas) e a implantação de 1 PAIS - Produção Agroecológica Sustentável. Além disso, contempla ainda a produção de 20 mil mudas de mangue e cinco mil de plantas nativas; a cobertura vegetal de quatro hectares de área do manguezal; análise das atividades socioeconômicas de 34 comunidades relacionadas com a pesca, agricultura e consumo doméstico; análise de 50 amostras de água para definir os componentes físico-químicos e microbiológicos de modo a evidenciar padrões de potabilidade e impactos ambientais das atividades de monocultivos de camarão (carcinicultura) e produção de sal no estuário Barra Grande.

Outras ações previstas pela iniciativa é a realização de 13 oficinas sobre ecossistemas costeiros, gestão da água e mudanças climáticas, cada uma contemplando oito horas aula com a participação de professores, estudantes, lideranças comunitárias, pescadores, marisqueiras, ribeirinhos e administradores municipais. Ao final, será elaborado o Plano de Ação de Enfrentamento Comunitário às Mudanças Climáticas.

COMUNIDADES BENEFICIADAS
As comunidades de Icapuí abrangidas pela iniciativa são: Berimbau, Praia de Requenguela, Cajuais, Serra de Cajuais, Mutamba, Serra da Mutamba, Praia de Barreiras de Baixo, Barreiras de Cima, Barrinha, Picos, Peroba, Redonda, Vila União, Vila Nova, Ipaumirim (INCRA), Belém, Copam, Serra do Mar, Ponta Grossa e Retiro Grande; Olho D’Água, Olho D’Água da Serra, Vila de Ibicuitaba, Praia de Quitérias, Morro Pintado, Praia de Tremembé, Melancias de Cima, Melancias de Baixo, Praia de Melancias, Peixe Gordo, Praia de Peixe Gordo e Gravier; Vila Nova, Barrinha de Manibú, Praia de Manibú, Arisa e Córrego do Sal.


SERVIÇO:
Lançamento da IV Etapa do Projeto “De Olho na Água” com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental
Data: 7 de junho de 2018
Horário: 9h
Local: Estação Ambiental Mangue Pequeno, na Praia da Requenguela, em Icapuí/CE.
Mais informações: http://www.brasilcidadao.org.br/
Redes sociais: Facebook.com/fundacaobrasilcidadao e Instagram @deolhonaagua

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.