Pular para o conteúdo principal

Pamonha e coco queimado: Yozenn apresenta sabores juninos



Gelatos seguem a mesma linha saudável da marca e estão disponíveis nas lojas até o final deste mês

A Yozenn Gelato & Café entrou no clima de São João. Em alusão a data, a empresa lançou os gelatos de coco queimado e pamonha. Com o objetivo de incrementar ainda mais as vendas, os novos sabores seguem a mesma linha dos demais produtos, sendo 100% naturais com baixo teor de gordura e calorias, livre de corantes e aromatizantes.

Os produtos da Yozenn passam por uma rigorosa seleção de ingredientes frescos, não sendo utilizados quaisquer produtos sintéticos, pois o objetivo é oferecer um gelato saudável, nutritivo e saboroso.

Sem lactose
A Yozenn também se destaca por pensar nas pessoas que têm intolerância à lactose. No seu mix de gelatos, há sabores que não possuem lactose, como é o caso dos sorvetes de frutas (morango, maracujá e açaí) e o chocolate 75%.

Variedade
Com mais de 17 itens no mix de produtos, que vão de R$ 5,00 a R$ 17,00 as 5 lojas da Yozenn (nas praças de alimentação dos shoppings Iguatemi, Del Paseo e Shopping Riomar; e no Aeroporto Internacional Pinto Martins) atendem os mais rigorosos públicos.

O diretor da empresa, Caio Nogueira, reforça a diversidade de sabores que a Yozenn oferece, “trabalhamos com selecionados sabores de sorvetes como: Leite Ninho da Bibia, Chocolate Italiano, frutas, etc. Nossas lojas disponibilizam ainda diversas combinações de toppings, como: frutas frescas, caldas, guloseimas e cereais, para deixar o gelato personalizado de acordo com o gosto e preferência de cada cliente”, afirma.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…