segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

EDP patrocina exposição O retrato do rei dom João VI


Este é o primeiro de uma série de eventos culturais que a Companhia vai apoiar até 2022. Mostra, no Museu Histórico Nacional, marca obicentenário da aclamação do monarca como rei de Portugal, Brasil e Algarves

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, é patrocinadora da exposição O retrato do rei dom João VI, que marca o bicentenário da coroação do monarca à frente do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. Este é o primeiro de uma série de eventos culturais que a Companhia vai apoiar até 2022, ano em que será celebrado o aniversário de 200 anos da Independência do Brasil.

A mostra ficará aberta ao público entre 30 de novembro e 17 de fevereiro de 2019 no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro. O tema da exposição é a construção da imagem de Dom João VI como rei, a partir de um amplo panorama amplo da iconografia de um personagem decisivo na história de Portugal e Brasil na passagem do século XVIII para o XIX.

Para isso, o acervo reúne 24 pinturas, oriundas de instituições brasileiras e portuguesas, coleções particulares e do próprio acervo do MHN. Além dos retratos, completam a exposição condecorações, medalhas, moedas, leques, gravuras e uma réplica da coroa de 1818 – somando cerca de 60 itens.
“Como maior investidora portuguesa no Brasil, para a EDP é uma satisfação apoiar um evento que celebra e reforça os laços históricos entre Brasil e Portugal. Essa exposição marca o início da programação cultural que a EDP pretende promover para a comemoração do bicentenário da Independência do Brasil”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

No Ceará, a EDP é responsável pela UTE Pecém I, sediada no município de São Gonçalo do Amarante. Em operação desde 2012, a Usina gera 370 empregos diretos e 1.053 empregos indiretos. A atividade da termelétrica foi responsável pela transformação do Ceará de estado importador em exportador da energia elétrica.

Restauração ao vivo

Além disso, será realizada no local da exposição, aos olhos dos visitantes, a restauração de um retrato de Dom João VI de grande proporção (2 metros x 3 metros) pelo técnico do Laboratório de Restauração em pintura do MHN, Luiz Fernando Abreu, com a ajuda de estudantes da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A obra, do quase anônimo pintor brasileiro Antônio Alvesé a cópia de uma tela pintor italiano Domenico Pellegrini (1759-1840). A curiosidade é que na pintura do italiano vê-se, pela janela, o Terreiro do Paço, em Lisboa. Na versão de Alves, a paisagem vista é a da Baía da Guanabara, com o Pão de Açúcar ao fundo.

 A intenção é que, após o encerramento do evento, a obra restaurada seja apresentada como o principal legado da mostra.

A iniciativa conta ainda com programação educativa, com oferecimento de transporte e lanche para mil visitas escolares durante o período expositivo. A realização é do Museu Histórico Nacional e Instituto Brasileiro de Museus. Co-patrocinam a exposição o Instituto São Fernando, com a colaboração do Ministério da Cultura de Portugal e apoio da Embaixada de Portugal no Brasil, Instituto Camões em Brasília e Associação de Amigos do MHN. A produção é da Artepadilla.

Investimento histórico

A EDP acredita em apoiar a cultura e a arte dos países que falam português e evidenciam a riqueza e a diversidade do idioma, o mais usado no hemisfério sul do planeta. A valorização da língua é uma das bandeiras da Companhia, que garantiu o maior patrocínio à reconstrução do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo: um investimento de R$ 20 milhões até 2019.
Para levar a experiência do Museu a todo o País, a EDP criou a exposição itinerante “A Energia da Língua Portuguesa”. Instalada em um caminhão, a mostra rodou o Brasil, levando cultura e informação sobre a língua a mais de 22 mil visitantes nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e Ceará. Ainda nessa frente, a Empresa é apoiadora cultural da 25ª Bienal Internacional do Livro em São Paulo e co-patrocinadora da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP).

Ficha Técnica
Exposição: O retrato do rei dom João VI
Coordenação Geral: Museu Histórico Nacional
Curadoria: Paulo Knauss/ Diretor do MHN
Proponente: Associação de Amigos do MHN
Produção Executiva: Artepadilla/ Roberto Padilla
Design expositivo: Cristiane João/ Museógrafa do MHN.

Serviço
Data: 30 de novembro e 17 de fevereiro de 2019
Onde: Museu Histórico Nacional
Visitação: terça a sexta, 10h às 17h30; sábado, domingo e feriado, 13h às 17h
Ingressos:   R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Entrada gratuita aos domingos. Confira outras gratuidades em mhn.museus.gov.br
Mais informações: (21) 3299 0324 (recepção)


Sobre a EDP Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia, e possui sete unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,4 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, adquiriu participação na CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 12 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Museu Histórico Nacional

Dedicado à História do Brasil, o Museu Histórico Nacional (MHN) está  localizado no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Foi criado em 1922, como parte das comemorações do Centenário da Independência do Brasil. O museu é uma das unidades do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e possui um vasto acervo constituído por cerca de 350 mil peças, entre manuscritos, iconografia, mobiliário, armaria, esculturas, indumentária etc. 

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.