#audioinclui

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Ayrton Pessoa Bob lança álbum “Horizonte Aparente” no Teatro Dragão do Mar



Nos dias 24 e 31 de maio, o músico multi-instrumentista Ayrton Pessoa Bob lança seu segundo álbum “Horizonte Aparente” no Teatro do Dragão do Mar, às 20h. O trabalho é resultado do encontro de músicos e pesquisadores durante Projeto do Porto Iracema das Artes 2018


Depois do sucesso no show de lançamento na Casa Absurda, no dia 11 de maio, o multi-instrumentista cearense, Ayrton Pessoa (Bob) traz novamente para o público a temporada de lançamento do álbum “Horizonte Aparente”, nos dias 24 e 31 de maio, às 20h, no Teatro Dragão do Mar.


“Horizonte Aparente ad infinitum” é como termina uma das faixas do Álbum “Horizonte Aparente”, um verdadeiro convite ao não-aparente e presente de vários ritmos, sonoridades e encontros. Com composições e acordeon de Ayrton Pessoa (Bob), o trabalho tem a orientação do pianista, compositor e produtor paulistano Benjamin Taubkin e participação de Jônatas Gaudêncio no clarinete e Raí Santorini no desenho de luz.

Resultado do projeto contemplado pelo Edital das Artes da Secult-CE e do processo de criação vivido no Laboratório de Música da Escola Porto Iracema das Artes em 2018.O projeto, que teve início ainda em 2016, com Bob e Jônatas, num processo de composição, experimentação e apresentação ao longo do ano seguinte, resulta de um disco nas plataformas digitais acompanhado de um vídeo da gravação na íntegra.

A experiência do laboratório rendeu investigações, encontros e parcerias. Além das composições sonoras e da condução do clarinete, criou-se ambientes visíveis para imersão nas transformações de som-luz que dialogam também através de sensores e se somaram às colaborações de texto (Honório Félix) e performance (Thales Luz, Diogo Braga e Natália Coehl). “Horizonte Aparente” então se constrói na sobreposição de paisagens e nas narrativas de viagem, oscilando entre densidade e esvaziamento na composição sonora e visual, abrindo um passeio poético por mitologia, astronomia e cotidiano.

Diálogos

Após o lançamento de um EP digital (novembro/2017), o então duo lançou videoclipes das músicas (resultado de colaborações com os artistas Noá Bonoba, Juliana Tavares, Devon Zoal, Gil Rodrigues e Jupira Carvalho), iniciando uma abertura de meios e linguagens através da qual ganhou a participação constante de Raí para investigar a ambiguidade nos desenhos de luz e som. Com o intuito de aprofundar esses diálogos, ampliar o repertório e expandir os meios criativos, o trio ingressou no Labmus do Porto Iracema das Artes VI edição.
  
Ayrton Pessoa (Bob) é artista sonoro e visual, compositor, graduado em Filosofia (UECE), mestre em Artes (UFC). Atua como instrumentista e arranjador em apresentações e gravações de diversos grupos e intérpretes. Com várias influências e direções, costuma trabalhar em colaboração com outras linguagens e traz para sua música um pensamento transdisciplinar.

Ao seu processo criativo agregam-se desenho, fotografia, texto, dramaturgia e performance, os quais divide com outros artistas, coletivos etc. Desde o lançamento de seu primeiro álbum, “Manual Prático da Saudade”, em 2012, Bob tem realizado diversas experimentações com grupos mais reduzidos e buscando sonoridades em territórios musicais menos delineados. Somando influências de "noise", "drone" e noções de paisagem e ambiente às referências de choro e sertão (muito presentes em projetos anteriores) o músico vem sintetizando estilos e geografias no seu recente trabalho.

Entre os mais recentes para os palcos estão as trilhas sonoras de: Nossos Mortos (Teatro Máquina, 2018), Restos Cavam Janelas (Comedores de Abacaxi, 2017), Baldio (Pavilhão da Magnólia, 2015), Fatzer (Teatro Máquina, 2014), Hamlet: Solo (Coletivo Soul, 2013) e Ivanov (Teatro Máquina, 2011).

Jônatas Gaudêncio (1989, Fortaleza) é clarinetista, procedente da banda do Colégio Piamarta. Em 2012 ganhou uma bolsa de estudos para estudar no Conservatório da cidade de Briançon na França onde fez apresentações de música de câmara nas cidades de Bardonechia (Itália) e Briançon (França), participou da gravação com a orquestra do conservatório de Briançon e terminou o conservatório com nota máxima dos jurados. Atualmente faz parte da OSUECE (Orquestra Sinfônica da UECE) como 1°Clarinete sob a Regência do Maestro Alfredo Barros, da Banda sinfônica da UECE como Clarinete Piccolo sob a Regência do Professor Marcio Landi e do Duo de Clarinete e Piano com a pianista Michelle Lucena onde fazem concertos em escolas da rede pública e particular.

Raí Santorini (1993, Fortaleza) é ator e técnico em iluminação, graduado em Licenciatura em Teatro pelo Instituto Federa do Ceará (IFCE). Já trabalhou com diversos artistas e coletivos. Entre os trabalhos de iluminação e operação técnica estão: Uma de Duas – A Vida Comum de LucyLady (2013 – Direção: Yuri Yamamotto), Caio e Léo (2014 – Outro Grupo de Teatro), Elefantes Famintos (2014 – Teatro Esgotado),Notas de Uma Terra Devastada (2016 – Teatro Esgotado),Marlene – Dissecação do Corpo do Espetáculo(2016 – No Barraco da Constância Têm!),/OLARIA (2016 - IFCE), PLAYBACK (2017 - Teatro Suspenso) e RARA (2017 - No Barraco da Constância Tem).

FICHA TÉCNICA
Direção Musical e composições (Ayrton Pessoa Bob),Músicos (Jônatas Gaudêncio clarinete), Ayrton Pessoa Bob (programações, controladores, acordeom e voz), Desenho de luz e cenografia (Raí Santorini), Performance (Diogo Braga, Natália Coehl e Thales Luz), Figurino (Devon Zoal), Texto (Honório Félix), Voz (Natasha Faria),Orientação (Benjamin Taubkin)

Serviço:
Lançamento do álbum Horizonte Aparente, de Ayrton Pessoa Bob
Teatro  Dragão do Mar
Dias 24 e 31
Horário: 20h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10
Informações: 85 9.9277-4000 - 85 3037.4618  

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.