Pular para o conteúdo principal

Novidade - Grupo DCDN celebra 35 anos de atuação e de contribuição para o avanço do Nordeste


A construção das estradas do Nordeste, a segurança energética para o funcionamento de grandes empresas e até mesmo a organização dos produtos nos supermercados têm em comum o trabalho do Grupo DCDN, que há mais de três décadas contribui de forma ativa para o crescimento socioeconômico da Região. Hoje, o Grupo DCDN atua no Ceará, onde está a sua sede, e em mais cinco estados nordestinos (Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas), com foco nos setores energético, automotivo, marítimo, agrícola, varejista, industrial e de infraestrutura e construção. 

Para celebrar seus 35 anos de existência e de contribuição para o desenvolvimento dos estados onde está presente, o Grupo DCDN realizará, nesta terça-feira (14), às 19h, no Moleskine Gastrobar, um coquetel especial para a imprensa. 

O Grupo DCDN começou suas atividades na década de 1980, atuando como distribuidor exclusivo dos motores e geradores Cummins e seus componentes. Hoje, um portfólio amplo de produtos e serviços é oferecido ao mercado pelas empresas que compõem o Grupo: a DCDN, distribuidora exclusiva Cummins, Hyster, Komatsu e Allison Transmission; a DCDN Engenharia, que atua no desenvolvimento e na gestão de projetos de energia; a DCDN Locações, cujo foco é o aluguel de máquinas; a Dominó Nordeste, com a comercialização de máquinas de automação industrial; e a Norlabel, que fabrica máquinas de rotular.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…