Pular para o conteúdo principal

Jornalismo de dados - Queda real anual do metro quadrado em Fortaleza chega a 5%


Estudo do Imovelweb, um dos maiores portais do mercado imobiliário brasileiro, revela a continuidade no ritmo de desvalorização dos imóveis na capital cearense, com redução de 1% no valor médio da metragem quadrada em outubro

Mais um mês de queda no valor dos imóveis em Fortaleza. É o que revela o mais recente levantamento do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, com base em mais de 7.000 anúncios de imóveis à venda na cidade.

O preço médio caiu para R$ 4.917 por m2, uma baixa de 1% em relação à setembro. O resultado aponta 1.5% de queda em 2019 e menos 2.6% no acumulado dos últimos 12 meses. Ainda segundo o levando,ao considerar a queda real anual, em relação à inflação, a desvalorização já é de 5% nos últimos 12 meses.

De acordo com o estudo, Meirelles é o bairro com o M2 mais valorizado,com preço médio de R$ 7.582, seguido de Mucuripe (R$ 7.194) e Cais do Porto (R$ 6.986). Na outra ponta, o mais econômico é Prefeito José Valter, no patamar de R$ 2.431, antecedidos por Manuel Satiro (R$ 2.435) e Jangurussu (R$ 2.439).



Mais caros (m²)
Meireles
R$ 7.582,00
Murucipe
R$ 7.194,00
Cais do Porto
R$ 6.986,00
Mais baratos (m²)
Prefeito José Valter
R$ 2.431,00
Manoel Satiro
R$ 2.435,00
Jangurussu
R$ 2.439,00


Um apartamento típico com dois quartos em Fortaleza, tem 65m2, uma vaga na garagem e vale em média R$ 319 mil. Já a opção com três quartos e 90m2 custa R$ 407 mil.

A única região que apresentou número positivo em outubro foi a SER 1 com aumento de 1% na média nos preços por metro quadrado, embora ainda registre queda de 8,9% no acumulado anual. A SER V, quase entrou no azul, ficando praticamente estável, com - 0,1%. Já a SERCEFOR segue na liderançado ranking com desvalorização de 3,5%, no mês passado.







Preços do metro quadrado por região

Regiões
Preço médio m²
Variação no último mês
Variação nos últimos 12 meses
Ser II
R$ 5.578,00
-1,1%
- 1,5%
Sercefor
R$ 4.672,00
-3,5%
S/D
Ser III
R$ 4.675,00
-0,4%
2,7%
Serv IV
R$ 4.426,00
-1,0%
0,8%
Ser I
R$ 3.923,00
1,0%
-8,9%
Ser VI
R$ 3.857,00
-0,6%
-1,6%
Ser V
R$ 3.026,00
-0,1%
-12,2%



Sobre Imovelweb
Com 20 anos de existência, o Imovelweb é um dos maiores portais do mercado imobiliário do Brasil. Referência em Real Estate, faz parte do grupo argentino Navent, uma das dez maiores empresas de internet da América Latina. Com cerca de 200 colaboradores no Brasil, é uma multinacional sólida, de capilaridade nacional e com a maior capacidade de investimento do mercado em plataforma digital. O Imovelweb se destaca em seu mercado por representar o consumidor em todas as suas necessidades e momentos de vida, oferecendo as melhores oportunidades de negócios do setor imobiliário no Brasil. Mais informações em www.imovelweb.com.br.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…