Pular para o conteúdo principal

Polícia Federal combate remessa de dinheiro falso pelos Correios no Ceará

A Polícia Federal, em ações distintas, ocorridas entre os dias 11 e 13/12, prendeu dois homens que receberam pacotes com cédulas falsas de dinheiro via postal.
Na quarta-feira (11/12), um jovem, 19 anos, foi preso  na agência dos Correios, no bairro Monte Castelo, na capital cearense, com duas encomendas postais, contendo 12 cédulas falsas de R$100 e uma de R$20, num total de R$1.220, na quinta-feira (12/12) um paraense, 34 anos, também foi preso com 45 notas de R$ 20, totalizando R$900, na agência dos Correios em Tejuçuoca e nessa sexta-feira (13/12), em Fortaleza, uma encomenda postal foi apreendida com 20 notas falsas de R$ 50. Não houve prisão nesse caso, mas uma suspeita foi intimada para prestar esclarecimentos.
Os presos foram autuados em flagrante pelo crime de moeda falsa, com penas de reclusão de 3 a 12 anos e encaminhados à sede da Superintendência Regional da PF, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.                          
As ações resultam dos trabalhos desenvolvidos pela área de inteligência da PF no combate a esse tipo de delito. Segundo as investigações, há indícios de remessa regular de cédulas falsas para o Ceará.
A PF alerta a população a observar os elementos de segurança e autenticidade das cédulas verdadeiras. Em caso de recebimento, não repassar a terceiros e comunicar à autoridade policial mais próxima. As instruções de verificação, bem como as orientações de como proceder em caso de recebimento de cédulas falsas, constam no portal do Banco Central do Brasil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…