#audioinclui

sábado, 18 de janeiro de 2020

Mais dois suspeitos são presos pela Polícia Civil por agressões a travesti em Fortaleza

17 DE JANEIRO DE 2020 - 17:32 # # # # # # # # #

Equipes da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio do 17º Distrito Policial (DP), cumpriram dois mandados de prisão preventiva, nesta sexta-feira (17), contra dois suspeitos de participarem das agressões a uma travesti, em Fortaleza. O fato ocorreu no final de novembro, no bairro Vila Velha, na Área Integrada de Segurança 8 (AIS 8). Um dos suspeitos já havia sido capturado no dia 8 de janeiro por força de um mandado de prisão temporária.
Kevin de Oliveira da Silva (19), com passagem pela Polícia por receptação, já se encontrava recolhido e teve a sua prisão temporária, por crime de tortura e corrupção de menores, convertida em preventiva após investigações conduzidas pela Polícia Civil. O segundo suspeito capturado foi Robert Wanderson Araújo Bezerra (27), com passagem por roubo. Ele foi localizado pelos policiais civis da delegacia distrital, após denúncias anônimas. Ele foi encontrado em uma residência, na Barra do Ceará (AIS 8) de Fortaleza.
Durante as diligências para a captura de Robert, o infrator tentou se evadir do local subindo em uma geladeira para ter acesso ao teto do imóvel, mas foi contido pela equipe policial. Agora, ele se encontra à disposição da Justiça e deverá responder por tortura, corrupção de menores e roubo contra a vítima.

O crime

O crime aconteceu no dia 29 de novembro na Rua Adolfo Sales, conforme apurado pela equipe do 17º DP. A travesti foi agredida a socos e pauladas enquanto uma mulher identificada como Ana Vitória da Silva Guimarães (20), sem antecedentes criminais, filmava toda a ação criminosa. Ela foi presa dia 13 de novembro de 2019 e indiciada pelo crime de tortura.

Foragida

A Polícia Civil segue em busca de Joelma Moura de Lima Feitosa (47), vulgo “Lora”, sem antecedentes criminais. As apurações do 17º DP identificaram que, nos dias que se seguiram após o fato, Joelma ameaçou a família da vítima de morte e exigiu que a travesti gravasse um vídeo explicando que as agressões teriam acontecido por outra razão, evitando que ela fosse apresentada às autoridades policiais. Ainda segundo os levantamentos policiais, Joelma pagou R$ 100,00 para cada um dos partícipes como recompensa pelo crime. A motivação para as agressões contra a travesti seria a disputa pelos pontos de prostituição.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS); ou ainda para o (85) 3101-2497, do 17º Distrito Policial (DP). O sigilo e o anonimato são garantidos.

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.