Pular para o conteúdo principal

Suspeito de manter companheira em cárcere privado em Alcântaras é preso pela PCCE


24 DE JANEIRO DE 2020 - 18:07 # # # # #

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) deu cumprimento a um mandado de prisão preventiva em desfavor de um homem de 24 anos suspeito de manter a companheira em cárcere privado, agredi-la e estuprá-la. Diligências conduzidas pela Delegacia Municipal de Coreaú resultaram na prisão do homem, nesta sexta-feira (24), em Alcântaras, na Área Integrada de Segurança 14 (AIS 14).
As investigações em torno da prática criminosa do homem iniciaram em outubro do ano passado. A vítima procurou a Polícia Militar do Ceará (PMCE) e relatou os abusos que sofria do companheiro, bem como as agressões e a situação em que vivia na casa dele, em total reclusão. Conforme levantamentos policiais, os dois mantinham um relacionamento há quatro meses. Os policiais militares levaram o caso ao conhecimento da Delegacia Municipal de Coreaú, que é responsável por apurar crimes no município de Alcântaras.
De imediato, a Polícia Civil adotou todos as medidas necessárias para garantir a segurança da mulher e encaminhou o pedido dela de medidas protetivas de urgência contra o infrator ao Poder Judiciário. Assim como, relatou o inquérito policial representando pela prisão do homem, cujo mandado foi cumprido hoje.
O suspeito, que não terá a identidade revelada para preservar a identidade da vítima, foi indiciado pelos crimes de estupro, cárcere privado e lesão corporal. As penas acumuladas dos crimes podem chegar a 16 anos de prisão. O homem está à disposição da Justiça.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…