#audioinclui

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Suspeito de participar de roubo de carga de explosivos é preso em operação da PMCE em Guaiúba


14 DE JANEIRO DE 2020 - 17:51 # # # # # # # # # # # # #

Um dos suspeitos de participar do roubo de uma carga de explosivos, no dia 20 de dezembro de 2018, em Aquiraz, na Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13), foi preso, nesta terça-feira (14), em Baturité, na AIS 15 (AIS 15). A prisão dele foi um desdobramento de uma operação da Polícia Militar do Ceará (PMCE) que, momento antes, havia prendido dois suspeitos de trocarem tiros com militares da 3ª Companhia do 14º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Guaiúba, na AIS 12 (AIS 12). O balanço da operação resultou na apreensão de seis armas de fogo, incluindo um fuzil AK 47 e uma metralhadora artesanal. No confronto com os agentes de segurança, três homens foram baleados e tiveram óbito confirmado em hospitais de Guaiúba e Fortaleza. Dois dos presos foram encaminhados para uma unidade de saúde sob escolta policial. Um terceiro, o suspeito de roubar a carga de explosivos, foi preso.
Após apurarem denúncias de que indivíduos estariam armados por vias do município de Guaiúba, a Força Tática da PMCE diligenciou até a Estrada Parada da Alegria, onde foram recebidos a tiros pelos suspeitos. Em razão da troca de tiros, cinco suspeitos foram lesionados e conduzidos para unidades de saúde, em Fortaleza e Guaiúba, para receberam atendimento médico. Três deles tiveram óbitos confirmados: Francisco Iranildo Costa da Silva (24), sem antecedentes, Antonio Pereira da Silva Filho (18), com passagem quando era menor, e Edimilson Xavier da Silva (24), o “Loirim Dragão”. Este último estava com mandado aberto por homicídio qualificado por motivo fútil e por impossibilitar a defesa da vítima e tinha passagens por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e por posse de droga. Daniel Rodrigues da Silva (30), com passagens por homicídio e crime ambiental, e Antonio Marcos Sales Roque Filho (18), que respondeu a um ato infracional quando menor, estão escoltados por policiais militares em um hospital até receberem alta médica.
Já o terceiro preso – Welyson Nogueira Fernandes Gomes (21), conhecido por “Cueca” (22), apontado como um dos participantes do roubo do caminhão com explosivos –, foi preso por uma equipe do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), na localidade Riachão, em Baturité. Ele confessou aos agentes que estava dando apoio aos indivíduos que trocaram tiros com os militares em Guaiúba. Ele estava com um mandado de prisão em aberto por integrar associação criminosa e roubo qualificado por concurso de pessoas, restrição de liberdade e subtração de substâncias explosivas, decorrente do roubo da carga de explosivos. Welyson foi conduzido para a Delegacia Metropolitana de Guaiúba, onde foi autuado em flagrante por organização criminosa, posse de arma de fogo e tráfico de drogas, além de dar cumprimento ao mandado judicial em desfavor dele. Os outros dois presos foram autuados nos mesmos crimes que Welyson e ainda vão responder por tentativa de homicídio.
Além de um fuzil AK 47 e de uma metralhadora artesanal calibre 380, a ação policial resultou ainda nas apreensões de uma escopeta calibre 12, duas pistolas (.40 e 380), um revólver calibre 38. Também foram apreendidos 290 gramas de maconha, 630g de crack, uma balança de precisão, anotações do tráfico e 69 munições de calibres diversos. Todo o material foi levado para a realização de procedimento policial na unidade da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), em Guaiúba.

Roubo da carga

No dia 20 de dezembro de 2018, um caminhão carregado com explosivos foi roubado, na cidade de Aquiraz – Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13). O veículo foi abandonado horas depois e encontrado nas proximidades do Anel Viário, em Maracanaú (AIS 12), já sem o carregamento. As investigações foram conduzidas pela Polícia Civil, que conseguiu identificar todos os envolvidos e pedir as prisões deles.
O primeiro suspeito preso do caso foi José Gil Ferreira da Silva (23), conhecido por “Tizil”, capturado no dia 14 de janeiro de 2019. Conforme levantamentos policiais, ele teria participado do roubo do veículo. Em seguida, foi a vez de Milene Constantino dos Santos (21) e Ackel Jarley Bezerra Ferreira (36), o “Pantera”, responsáveis pela guarda de parte dos explosivos. Ainda de acordo com as investigações, Welyson teria atuado no roubo da carga de explosivos que posteriormente foi vendida ao detento Daniel Belmiro José Rodrigues (47), conhecido por “Negão” e companheiro de Milene.
Após trabalho de inteligência das forças de segurança, a carga de explosivos foi localizada e apreendida em dois endereços na Capital:

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.