#audioinclui

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

OAB Ceará media diálogo entre policiais militares e Governo do Estado para pôr fim à paralisação

A Ordem dos Advogados do Ceará foi convocada pelos poderes constituídos do Estado do Ceará – executivo, legislativo e judiciário, o MP-CE e o exército brasileiro para ser mediadora entre as partes. Na manhã desta quarta-feira (26), a OAB Ceará participou da primeira reunião da comissão formada para mediar às negociações. De acordo com o presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas, é importante que haja essa mediação para ouvir as partes e chegar a um acordo. “Queremos criar esse canal de diálogo para solucionar esta crise que o Estado vem enfrentando. Será um momento de conversa onde serão colocadas em mesa todas as pautas de discussão. Gostaríamos que fosse o mais breve possível, pois a população tem sofrido bastante com essa paralisação”, afirma.

Segundo o procurador-geral de Justiça, Manuel Pinheiro, a OAB Ceará se prontificou a buscar um interlocutor, entre os policiais militares, para estar na mesa com os poderes do Estado e apresentar suas demandas. “Confiamos no trabalho prestado pela a OAB em busca do interlocutor. É importante que ocorra essa mediação para chegar a um acordo e acabar com esta crise”, declarou o procurador-geral de Justiça.

A Ordem cearense já vem realizando este trabalho, por meio da Comissão Especial, criada pelo o presidente da instituição e composta pelos advogados Waldir Xavier de Lima, Ademar Mendes Bezerra e Flávio Jacinto. A comitiva da OAB esteve reunida, na Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Ceará, na última sexta-feira (21), com o intuito de apurar os fatos decorrentes dos conflitos ocorridos em razão das manifestações de bombeiros e policiais militares. “A OAB está desempenhando esse papel de mediadora em nome da sociedade e das instituições. Mediar o diálogo é a solução, por isso, estamos ouvindo ambas as partes e chegar a um acordo o mais breve possível”, afirma Waldir Xavier.

Após a coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (26), na sede da Procuradoria Geral de Justiça, os representantes da Ordem, Erinaldo Dantas e Waldir Xavier, foram ao 18º Batalhão de Polícia, no Bairro Antônio Bezerra, para fazer a mediação com o movimento. Assim, foi escolhido, em consenso, o advogado e Coronel reformado do exército, Walmir Medeiros, para apresentar os pleitos dos militares em uma próxima reunião da comissão com data ainda a ser marcada. “A ideia nesse primeiro momento é sentar pra conversar, se falar em respeito, dignidade, serenidade e em diálogo. É acertar isso com o Governo, ver como policiais e, juntos, poder levar uma palavra de paz à população. No segundo momento, depois que as coisas se acalmarem, aí falaremos como é que pode ser negociada a situação dos policias, como é que pode ser negociado esse dilema entre os setores. O Governo pensa uma coisa, os policias pensam outra, pouco se fala em diálogo, e isso precisa ser retomado o mais rápido possível” salientou o coronel Walmir Medeiros.

A comissão é composta pelos seguintes membros:

Poder Executivo – Procurador-Geral do Estado, Juvêncio Viana
Poder Judiciário –Corregedor-Geral Desembargador Teodoro Silva Santos
Poder Legislativo – Deputado estadual Evandro Leitão (PDT)
Funcionam como observadores as seguintes autoridades:

Ministério Público – procurador-geral de Justiça, Manuel Pinheiro
Exército –Coronel Marcos Cesário
OAB – Erinaldo Dantas (presidente do órgão)

0 comentários:

Postar um comentário

Expresse aqui a sua opinião sobre essa notícia.