Pular para o conteúdo principal

Green at Home: Rede Greenlife Academias oferece atividades físicas em suas redes sociais durante período de quarentena contra coronavírus



Tendo em vista o surto de Coronavírus, também no Estado do Ceará, a rede Greenlife Academias pensando na saúde e segurança de seus alunos, colaboradores e parceiros, fechou todas as suas unidades com previsão de reabertura no próximo dia 30 de março.

Porém, esses dias em casa não precisam ser dias off. Neste período inicial, a Greenlife está oferecendo atividades físicas, para todos, através do #GreenAtHome em suas redes sociais, através dos instagrams: @greenlife_family_club / @greenlife_academias
@greenlife_bootcamp / @crossfitsuperacao. 

São treinos diários e, também, uma playlist no spotify assinada pelo DJ Morr.

”Nossa preocupação é com a saúde e bem- estar das pessoas. É importante que elas fiquem em casa, em segurança,  e que também possam continuar praticando atividade física durante esse período. Por isso, estamos incentivando e disponibilizando os meios necessários para que isso aconteça com vídeos de treino, músicas e várias dicas”, ressalta Keite Spessirits, gerente de marketing da rede. 

Além disso, os alunos Greenlife não serão prejudicados. Os dias em que as unidades estão fechadas serão acrescidos no final de cada plano. A Greenlife está esperançosa que tudo se normalizará em breve.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…