Pular para o conteúdo principal

Prefeitura de Fortaleza constrói hospital temporário no Estádio Presidente Vargas


As equipes trabalham para finalizar os serviços até o dia 20 de abril e seguem todas as precauções com a higiene e segurança de seus profissionais
A Prefeitura de Fortaleza deu início, nesta segunda-feira (23/03), à construção de um hospital temporário no Estádio Presidente Vargas, com capacidade de 204 leitos para atender eventuais pacientes de coronavírus.
O espaço terá 3.500m² de área climatizada com base em concreto, estrutura metálica e lonas com divisórias para acomodar os pacientes em isolamento. Ao todo serão 11 enfermarias com 12 leitos.
O novo equipamento contará com leitos para internamento que podem ser usados como Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).
As equipes trabalham para finalizar os serviços até o dia 20 de abril e seguem todas as precauções com a higiene e segurança de seus profissionais com a utilização de máscaras, luvas e álcool 70%.
O hospital temporário contará, também, com contêineres separados para o armazenamento dos equipamentos de proteção individual dos profissionais da saúde, além de farmácia e demais espaços administrativos para garantir seu funcionamento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…