Pular para o conteúdo principal

*HRN imuniza crianças contra doenças respiratórias graves*



O Hospital Regional Norte (HRN), do Governo do Ceará, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) continua imunizando bebês contra o vírus sincicial respiratório (VSR), causador de uma infecção grave capaz de afetar os pulmões e os brônquios. Para evitar aglomerações, as doses do medicamento palivizumabe serão aplicadas nesta segunda-feira, 27, e na terça-feira, 28, em horários previamente agendados.

Devem ser imunizados bebês prematuros abaixo de 29 semanas e com menos de um ano de idade, além de crianças menores de dois anos com doença pulmonar crônica ou doença cardíaca congênita. “Se a criança imunizada tiver contato com esse vírus, a medicação irá protegê-la e vai diminuir o risco de contrair uma infecção grave. O bebê não vai ter grandes repercussões e provavelmente não vai precisar ser internado”, explica a coordenadora de enfermagem da Neonatologia do HRN, Cristiane Lemos.

*Informações*: Neonatologia do HRN: (88) 3677-9300

Leia mais: https://www.saude.ce.gov.br/2020/04/27/hrn-imuniza-criancas-contra-doencas-respiratorias-graves/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…