Pular para o conteúdo principal

Procurado por participar de ações criminosas no Ceará é preso pela Polícia Civil

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) prendeu, nessa quinta-feira (30), um dos homens suspeito de participar de uma série de ações criminosas no Ceará ocorridas em setembro do ano passado. José Mário Acelino de Lima (24), o “Irmão 37”, estava com mandado de prisão preventiva em aberto, desde o fim do ano passado, por integrar organização criminosa. De acordo com as investigações da Polícia Federal, que representou pela prisão dele, o homem pertence ao mesmo grupo de Ednal Braz da Silva (46), o “Siciliano”, preso que ordenou os ataques contra o patrimônio público e privado no Ceará de dentro de uma unidade prisional no interior de Pernambuco. José Mário foi preso em Fortaleza por uma equipe da Divisão de Combate ao Trafico de Drogas (DCTD).
Equipes da DCTD realizavam levantamentos sobre a possível localização do suspeito quando houve abordagem a ele, na tarde de ontem, na Avenida Trajano de Medeiros, bairro Vicente Pinzon, Área Integrada de Segurança 1 (AIS 1) de Fortaleza. José Mário não esboçou reação e revelou que sabia que havia um mandado de prisão contra ele. Após a identificação do homem, ele foi levado para a sede da DCTD, no bairro de Fátima, onde foram realizados os procedimentos necessários para o cumprimento do mandado judicial. Conforme apurações policiais, o homem é suspeito de participar de uma ação criminosa que culminou no incêndio a veículos de uma concessionária, na Avenida Santos Dumont.
Essa é a segunda prisão em quatro dias de um membro da mesma organização criminosa que a Polícia Civil do Ceará cumpre mandado referente à investigação que apura a participação de indivíduos suspeitos de ordenar e praticar da série de crimes. Na última segunda (27), Equipes da Delegacia Municipal de Barbalha prenderam Maxsuel dos Santos (22), com antecedentes criminais por tráfico de drogas e crime contra a paz pública. Ele estava na casa de familiares no bairro Sítio Barro Branco, em Barbalha. O homem é suspeito de participar de crimes contra prédios públicos e transportes coletivos, ocorridos em 2019.

Chefes presos

A partir de investigações conduzidas pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), ao longo dos últimos dois anos, foi possível identificar todos os indivíduos do topo da organização criminosa com base no Ceará. Dos seis suspeitos de chefiar as ações criminosas no Estado, a Draco prendeu quatro: Marcos André Silva Ferreira (24), conhecido por “Branquinho”Yago Steferson Alves dos Santos (26), o “Yago Gordão”; Francisco de Assis Fernandes da Silva (43), o “Barrinha”; e Francisco Tiago Alves do Nascimento (33), o “Tiago Magão”. Os outros dois foram capturados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e pela Polícia Federal: Deijair de Souza Silva (29), o “De Deus”, e “Siciliano”, respectivamente.

SSPDS

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…