Bairros de Fortaleza com piores indicadores da Covid-19 terão fiscalização intensificada


22 DE MAIO DE 2020 - 18:55 # # # # # # # # # # # # # # #

As ações de fiscalização para o cumprimento das medidas de isolamento mais rígidas em Fortaleza serão intensificadas em bairros que apresentam os piores indicadores relacionados à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Os indicadores de novos casos da doença, número de óbitos, circulação de veículos e denúncias de aglomeração de pessoas e comércios funcionando indevidamente em bairros da Capital serão levados em consideração para reforçar o número de fiscalizações dos órgãos municipais e estaduais de segurança pública, trânsito e fiscalização. A nova dinâmica de atuação já está em vigor e permanece até o dia 31 de maio, prazo final do Decreto Estadual nº 33.594.
Com o trabalho de fiscalização nas ruas com foco na preservação das vidas dos cidadãos fortalezenses, assim como para evitar o comprometimento da capacidade de atendimento da rede de saúde pública e privada com os novos casos da doença, as atividades realizadas nas sete barreiras fixas montadas ao redor da cidade e nas diversas blitze volantes dispostas por todos os bairros da Capital serão mantidas sob uma nova perspectiva, como explica o secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, André Costa.
“Nós utilizaremos os dados do crescimento de casos e óbitos por bairros, além das nossas ligações do 190, que já eram analisadas, e os dados e circulação de veículos. Faremos grandes operações naqueles bairros que tenham os piores indicadores, sejam de novos casos, pessoas contraindo a doença, ou de óbitos, mas também os bairros onde há maior concentração de denúncias por aglomerações e comércios funcionando indevidamente. Esse é um grande esforço para que a gente, até o dia 31 de maio, possa superar essa fase, e avançar buscando voltar à normalidade das nossas vidas”, destaca o titular da SSPDS.

Balanço

Desde o início das medidas de isolamento mais rígidas, 2.123 ocorrências atendidas já foram contabilizadas pelo Gabinete de Gestão de Eventos Complexos (GCEC), que reúne representantes dos órgãos de segurança, trânsito e fiscalização estaduais e municipais. Do total de acionamentos, foram 1.366 por aglomeração de pessoas, 622 por comércios abertos e 135 casos de descumprimento ao uso de proteção individual. O balanço corresponde aos dados compilados das 19 horas da quinta-feira (7) até as 8 horas desta sexta-feira (22).
As Áreas Integradas de Segurança (AIS) que mais registraram ocorrências foram as AISs 1, 4 e 9. Bairros como Aldeota (AIS 1), Cais do Porto (AIS 1), Álvaro Weyne (AIS 4), Carlito Pamplona (AIS 4), Mondubim (AIS 9), Conjunto José Walter (AIS 9) e Planalto Ayrton Senna (AIS 9) também concentram as maiores incidências de casos positivos da doença e óbitos em Fortaleza, conforme boletim epidemiológico mais recente divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Fortaleza.
Até as 8 horas de hoje, as barreiras fixas e as blitze móveis já tinha abordado mais de 112 mil veículos identificados circulando pelas ruas da cidade e também que precisaram passar pelas divisas municipais. Ao todo, foram montadas 744 blitze móveis em diversos pontos da Capital, uma média de 53 pontos de fiscalização montados por dia. Os condutores ou passageiros que não tiveram seus deslocamentos justificados ou que estavam sem máscara foram orientados a retornarem aos seus domicílios, como medida de prevenção.

Integração de forças

O plano operacional elaborado para a atuação dos órgãos municipais e estaduais continua com as ações de fiscalizações nas sete barreiras fixas instaladas nas entradas e saídas de Fortaleza. O objetivo desses trabalhos é evitar a circulação de pessoas sem justificativa entre os municípios. Os locais contam com efetivo da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
As atuações também ocorrem em blitze e patrulhamentos volantes montados em 104 quadrantes de Fortaleza. É importante que o cidadão saia de casa apenas em extrema necessidade. Lembrando que o uso da máscara fora de casa é obrigatório, além disso as pessoas devem portar documentos pessoais e alguma declaração que comprove o motivo do deslocamento.
Durante as abordagens, os dados dos veículos e condutores que passam pelas barreiras são cadastrados pelos agentes de segurança no Portal do Comando Avançado (PCA), um aplicativo desenvolvido pela SSPDS para auxiliar os trabalhos de seus servidores. Por meio da ferramenta, as equipes podem consultar placas de veículos, nomes e identificação por meio da biometria. O trabalho humano tem o apoio também do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia) e do Núcleo de Videomonitoramento (Nuvid) da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança.

Denúncias

A população pode ajudar nas ações de combate ao novo coronavírus. Além de cumprir as medidas de isolamento, as pessoas podem denunciar condutas que desrespeitem o Decreto Estadual n° 33.574. As informações podem ser repassadas ao número 190 da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). O sigilo é garantido.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça