Pular para o conteúdo principal

Corpo de Bombeiros de Iguatu resgata filhote de tamanduá-mirim, em Jucás

Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) por meio da 1ª Companhia do 4º Batalhão de Bombeiro Militar (1ªCia/4ºBBM – Quartel de Iguatu) na tarde deste sábado, 25 de julho, atendeu a uma ocorrência atípica de resgate de animal tamanduá-mirim, na localidade de Vila São Pedro, um distrito do município de Jucás, localizado a cerca de 30 km de Iguatu. Na Área Integrada de Segurança 21 (AIS 21).
Esse tipo de ocorrência é atípica, no entanto, foi o quarto animal, tamnduá-mirim, resgatado na região ao longo de julho do corrente ano. Os outros foram resgatados na Vila Gadelha e Chapadinha, bem distantes da Vila São Pedro. Após o resgate, o filhote foi conduzido para seu habitat natural com disponibilidade de água e alimento.
Segundo o tenente-coronel Nijair Araújo Pinto, “os tamanduás são dóceis e que sua aproximação as áreas residenciais se dá por busca a água e alimentos, quando havia IBAMA em aqui em Iguatu, deixávamos lá. Hoje, como não existe nenhuma unidade na cidade, selecionamos lugares afastados, onde exista fauna e flora apropriadas, e tentamos devolver o animal para o hábitat natural”, declara ou o comandante do 4º BBM, em Iguatu.
A guarnição que atendeu a ocorrência foi composta pelo subtenente César, soldado Steinel e soldado Fernandes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obituário - Esposa do dono da Betânia morre vítima de Covid- 19

Faleceu agora a pouco, vítima da Covid-19, a Sra. Gladia Girão, esposa do empresário Luiz Girão, dono da Lacticínios Betânia.

Terreno na Dom Luís é bloqueado pela justiça

A 8ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza deferiu a favor da PH Empreendimentos, empresa do Sr. Paulo Henrique Martins, o pedido que proíbe a transferência e a alienação dos terrenos que formam o imóvel localizado na Avenida Dom Luís (entre as ruas Coronel Jucá e Professor Dias da Rocha) onde antes funcionava o Shopping Dom Luís. 
​Através de contrato com a Construtora Manhattan, o imóvel foi transferido e o pagamento, que deveria começar em 2014, não ocorreu. A Construtora também descumpriu diversas obrigações neste período. Embora a situação tenha rendido dissabores ao Sr. Paulo desde então, tentou-se buscar o bom senso da Construtora ao longo destes anos, sem sucesso. Em janeiro deste ano, foi iniciado o processo judicial cujo número é 0102164-08.2017.8.06.0001. 
Com a decisão da juíza Dra. Ana Kayrena da Silva Freitas, por meio do ofício 147/2017, o imóvel fica intransferível e inalienável como garantia de Justiça até que o processo seja julgado, haja vista que a Construtora, coligada…