Pular para o conteúdo principal

DNA confirma paternidade de homem que tenta registrar filho cuja mãe morreu de Covid


O que já era certeza nos afetos e nas aparências coube também em cinco linhas de um laudo de laboratório. Mailson do Nascimento é pai de Thayson Levi. “Todo mundo fala que ele é a minha cara. Fiz o teste porque tinha de fazer mesmo. Mas eu tava tranquilo. Tinha certeza absoluta de que era meu filho.”


A confirmação aconteceu após Mailson procurar em junho deste ano a Defensoria Pública Geral do Estado (DPCE) na tentativa de registrar o garoto. Dado à luz em meio à pandemia do novo coronavírus, o pequeno não tem certidão de nascimento. Saiu do hospital apenas com a Certidão de Nascido Vivo (CNV) porque no momento do parto a mãe, Mirele, não tinha documentação. E morreu meses depois, vítima de Covid-19.


Como não havia vínculo matrimonial ou de união estável comprovado entre Mailson e Mirele, pois o casal vivia uma relação informal, ele não conseguiu registrar a criança no cartório. Precisava, antes, comprovar a paternidade por um exame de DNA e, em seguida, pleitear na Justiça uma decisão favorável pela emissão do documento de Thayson, hoje com dez meses.


A Defensoria viabilizou tanto o teste de material genético, feito com amostras de sangue e gratuitamente, quanto a ação judicial, também sem custos para Mailson. “Foi deferida a gratuidade da Justiça e agora estamos aguardando manifestação do Ministério Público, que precisa dizer se concorda ou não com tudo o que foi colocado no processo”, detalha a supervisora do Núcleo de Atendimento e Petição Inicial (Napi), defensora pública Natali Massilon.


Com o posicionamento do MPCE, o(a) juiz(a) decidirá se é ou não favorável à emissão da certidão de nascimento com Mailson enquanto pai de Thayson. “Sendo o parecer favorável, acredito que a sentença saia ainda este ano. Com a sentença, é expedido um mandado e ele [Mailson] leva o mandado ao cartório para ser expedida a certidão”, acrescenta a defensora.


 




 


Enquanto os prazos processuais correm, Mailson tenta colocar a vida nos trilhos depois da morte da companheira. Encontrou um emprego de carteira assinada. “Estou mais tranquilo agora”, confessa. Mas ainda mora na Aerolândia, periferia de Fortaleza, com a mãe, figura fundamental na criação de Thayson, um garoto que aguarda a decisão da justiça para, enfim, acessar serviços públicos essenciais e ter direitos básicos assegurados.


Escola, atendimento médico, comida, cidadania plena. “Minha mãe foi botar ele na creche, mas não conseguiu. Disseram que só tem vaga quando ele tiver certidão e os documentos tudo certinho. Tudo dele tá parado dependendo só disso [da certidão]. Nem benefício do Governo a gente consegue sem esse documento”, lamenta Mailson, na tentativa de colocar em prática todos os conselhos e orientações que ouviu da equipe multidisciplinar da Defensoria.


Foi de uma das assistentes sociais do setor de Psicossocial da Defensoria que ele recebeu a notícia da confirmação da paternidade pelo exame de DNA. “Nós abrimos o exame junto com a pessoa. Porque cada caso é um caso. É único. Diante de um resultado negativo, a abordagem é mais genérica. Mas quando é positivo a gente conversa sobre responsabilidade parental, sobre convivência… É preciso um olhar singular para cada caso”, pontua a coordenadora do serviço, psicóloga Andreya Arruda Amendola.


SERVIÇO

NÚCLEO DE ATENDIMENTO E PETIÇÃO INICIAL – NAPI

Celular: (85) 98895-5513

E-mail: napi@defensoria.ce.def.br

Mensagens de WhatsApp: de 8h às 12h e de 13h às 16hs


NÚCLEO DESCENTRALIZADO DO MUCURIPE

Telefone:(85) 3101.1079 – 8h às 12h e das 13h às 17h

Celular: (85) 98902-3847 – 8h às 12h

Celular: (85) 98982-6572 – 13h às 17h


NÚCLEO DESCENTRALIZADO JOÃO XXIII

Celular: (85) 98889-0856 – 8h às 12h e de 13h às 17h (WhatsApp)

E-mail: nucleojoao23@defensoria.ce.def.br


DEFENSORIA NO INTERIOR

Para contatos, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340

Idomed Canindé realiza capacitação de profissionais da saúde sobre acolhimento e humanização do atendimento no SUS

  Os profissionais da saúde da atenção básica no município de Canindé, além dos profissionais que atuam na Central de Marcação do município e na Central de Abastecimento Farmacêutico, participaram de capacitação sobre acolhimento e humanização do atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), na última semana. O evento aconteceu no auditório do  Instituto de Educação Médica Idomed Canindé em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Canindé e com o Ciclo Permanente de Educação Continuada da Faculdade Estácio de Canindé. Segundo o professor Dr. Orleâncio Gomes Ripardo de Azevedo, coordenador do programa de extensão do Idomed de Canindé, a capacitação é um importante passo para o fortalecimento dos trabalhos da rede pública de saúde. “Esse tipo de ação de aprimoramento que estamos proporcionando aos profissionais da saúde irá beneficiar todos, principalmente a população que utiliza os serviços de saúde pública”, explica. A diretora da unidade de Canindé, Iael Marinheiro, explica que