Pular para o conteúdo principal

Hospital Estadual Leonardo Da Vinci ultrapassa 1.500 cirurgias após retomada de procedimentos

 

Iones de Albuquerque realizou procedimento para drenar secreção crônica no ouvido

Depois de anos lutando contra um problema no ouvido, finalmente Antônia Iones de Albuquerque, 28, comemorou a realização de cirurgia no Hospital Estadual Leonardo Da Vinci (Helv), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) administrada pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH).

A salgadeira está internada no equipamento desde a última quarta-feira (22), quando realizou uma cirurgia de timpanotomia e mastóide (procedimento no ouvido para drenar a secreção crônica). Ela conta que sofria com dores e secreções desde criança e que, somente na fase adulta, o problema tornou-se mais grave.

Iones procurou, então, ajuda médica em Sobral, município onde reside, e foi encaminhada ao Helv. “Há uns anos, meu ouvido começou a piorar, com sangramento, me causando muita tontura. Então, eu procurei ajuda médica. Por causa da pandemia, eu tive que esperar um pouco, mas não demorou muito e, graças a Deus, agora realizei a cirurgia e estou bem”, afirma.

O procedimento cirúrgico da jovem foi um dos mais de 1.500 realizados na unidade hospitalar após a retomada das cirurgias, em julho deste ano. O Helv também somou, no mesmo período, mais de 3.200 atendimentos ambulatoriais e mil internações.

Quatro especialidades são atendidas no equipamento, que foi adquirido pelo Governo do Ceará durante a pandemia de forma permanente: Cirurgia Geral, Otorrinolaringologia, Urologia e Ortopedia. A proposta é reduzir a fila das cirurgias eletivas, beneficiando cada vez mais a população que reside no Estado.

Após crise de garganta no ano passado, a pequena Maria Sophia Ferreira de Sousa realizou cirurgia para retirada de amígdala e adenoide

O diretor de Processos Assistenciais (DPA), Jefferson Oliveira, reforça que o hospital tem conseguido cumprir com a média de procedimentos. “Aqui no Helv, nós temos conseguido suprir a meta. Isso só prova o quanto a equipe está empenhada em resolver e beneficiar os pacientes”.

A pequena Maria Sophia Ferreira de Sousa, 5, foi outra paciente contemplada. Após uma grande crise de garganta em 2020, a menina foi encaminhada ao médico, que verificou a necessidade de cirurgia para retirada de amígdala e adenóide.

A mãe, Janaína Ferreira Sousa, 31, contou que veio com a filha para Fortaleza para realizar a cirurgia. “A gente mora em Juazeiro do Norte e, logo quando foi verificada a necessidade de cirurgia, viemos para cá. Ela vivia em crise e não aproveitava muito [a infância]. Eu agradeci porque o processo foi rápido”, ressalta.

Atendimento

O Helv atende pessoas encaminhadas pela Central de Regulação do Estado. Após o agendamento e a realização da consulta, os pacientes fazem todos os exames necessários ao pré-operatório, incluindo o teste para Covid-19. Caso o resultado seja negativo, a cirurgia já pode ser marcada. Se o exame for positivo, o paciente é orientado a ficar em isolamento em casa por 14 dias até estar recuperado e apto para realizar o procedimento cirúrgico.

Atualmente, o Hospital Leonardo da Vinci tem 235 leitos no total, sendo 30 acomodações de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19 e 30 leitos clínicos para a doença. O Helv também tem vagas para clínica médica (64), clínica cirúrgica (82) e para UTI adulto (29).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ajudem a jornalista Marina Alves- TV Verdes Mares

 Oi, gente! Boa noite! Os últimos dias de tratamento foram bem difíceis, por isso fiquei mais ausente por aqui. Agora, começo a recuperar um pouco as forças com a ajuda de transfusões de hemácias e plaquetas. No sentido mais literal que existe, doações que estão salvando a minha vida. Por isso, gostaria de pedir a quem quiser/puder, que me ajude e, consequentemente, ajude outras pessoas com o simples gesto de doar. Pra isso, é só chegar no Fujsan e dizer que quer doar hemácias e plaquetas pra Marina Alves Bezerra. Me disseram que precisa só do nome mesmo, mas se perguntarem mais alguma coisa, lá vai: Nasc 11/04/1989 / CPF: 037.610.203-92 / Inertada no setor de oncologia do Hospital da Unimed. Soube que plaquetas só podem ser doadas por homens, com veias calibrosas. Mas hemácias é uma doação de sangue “normal”. Outra coisa. Soube hoje pelo médico que me acompanha, que além do tratamento de quimioterapia já iniciado, vou precisar de um transplante de medula. Como não tenho irmãos, as cha

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340

Idomed Canindé realiza capacitação de profissionais da saúde sobre acolhimento e humanização do atendimento no SUS

  Os profissionais da saúde da atenção básica no município de Canindé, além dos profissionais que atuam na Central de Marcação do município e na Central de Abastecimento Farmacêutico, participaram de capacitação sobre acolhimento e humanização do atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), na última semana. O evento aconteceu no auditório do  Instituto de Educação Médica Idomed Canindé em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Canindé e com o Ciclo Permanente de Educação Continuada da Faculdade Estácio de Canindé. Segundo o professor Dr. Orleâncio Gomes Ripardo de Azevedo, coordenador do programa de extensão do Idomed de Canindé, a capacitação é um importante passo para o fortalecimento dos trabalhos da rede pública de saúde. “Esse tipo de ação de aprimoramento que estamos proporcionando aos profissionais da saúde irá beneficiar todos, principalmente a população que utiliza os serviços de saúde pública”, explica. A diretora da unidade de Canindé, Iael Marinheiro, explica que