Pular para o conteúdo principal

Políticos e entidades criticam manutenção de juros básicos Para setor produtivo, decisão do BC prejudica recuperação econômica

  A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de interromper o ciclo de cortes da taxa Selic, juros básicos da economia, recebeu críticas de políticos e do setor produtivo. Na avaliação deles, a manutenção dos juros em 10,5% ao ano prejudica a recuperação da economia. Em postagem na rede social X (antigo Twitter), a presidente do PT, deputada federal Gleisi Hoffman (PR), classificou de injustificada a decisão do Copom. “Não há justificativa técnica, econômica e muito menos moral para manter a taxa básica de juros em 10,5% [ao ano], quando nem as mais exageradas especulações colocam em risco a banda da meta de inflação. E não será fazendo o jogo do mercado e dos especuladores que a direção do BC vai conquistar credibilidade, nem hoje, nem nunca”, criticou a parlamentar. Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a decisão do Copom foi inadequada e excessivamente conservadora. Na terça-feira (18), a CNI tinha pedido que o BC continuasse a cortar os juros básicos da economia.

Pesquisa De Endividamento. Inadimplência apresenta redução no bimestre Jan/Fev em Fortaleza



De acordo com a pesquisa do Endividamento do Consumidor de Fortaleza, realizada no bimestre janeiro/fevereiro de 2023, 75,4% dos consumidores da capital cearense possuem algum tipo de dívida. Este resultado, mostra um aumento de 2,4 pontos percentuais quando comparado com o bimestre encerrado em dezembro, de 73,0%, mas levemente abaixo do observado no mesmo período do ano passado (75,5%). O estudo é realizado pela Fecomércio-CE, através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC).

 

Já a proporção de consumidores com contas ou dívidas em atraso teve diminuição de 5,1 pontos percentuais, passando de 27,3%, no bimestre novembro/dezembro, para 22,2% no atual período. As dificuldades em honrar os compromissos financeiros afetam mais os homens (23,3% dos entrevistados desse grupo afirmaram possuir contas em atraso), os consumidores do estrato com idade entre 25 e 34 anos (25,4%) e da classe com renda familiar mensal entre cinco e dez salários-mínimos (22,8%).

 

O tempo médio de atraso é de 69 dias e a principal justificativa para o não pagamento das dívidas é a necessidade de se adiar o pagamento, para uso dos recursos em outras finalidades, com 50,0% das respostas. O segundo motivo mais mencionado é o desequilíbrio financeiro, citado por 44,3% dos entrevistados, seguido da contestação das obrigações (4,6%) e da perda de prazo por esquecimento (4,2%).

 

Comprometimento da renda

O consumidor de Fortaleza está comprometendo, em média, 42,4% da renda familiar com o pagamento das dívidas – exatamente o mesmo resultado do último semestre encerrado em dezembro de 2022, mas ainda superior à média histórica do indicador, de 35,0%.

 

Os instrumentos de crédito mais utilizados pelos consumidores são: cartões de crédito, citados por 81,2% dos entrevistados; financiamento bancário (veículos, imóveis etc.), com 14,5%; empréstimos pessoais, com 11,2%; carnês e crediários, com 4,6%; e cheque especial, com 1,5%.

 

A pesquisa mostra que são os gastos correntes os principais responsáveis pelo endividamento, com destaque para a compra de alimentos a prazo (citado por 57,4% dos consumidores entrevistados), a aquisição de itens de vestuário (33,3%), a cobertura de despesas de saúde (22,1%) e o pagamento de aluguel residencial (21,3%). O valor médio das dívidas é de R$ 1.712, com prazo médio de oito meses.

 

Inadimplência potencial

A taxa de inadimplência potencial, ou seja, a proporção de consumidores que não terão condições financeiras para honrar seus compromissos, teve uma redução de 2,4 pontos percentuais, atingindo o patamar de 9,1% no bimestre janeiro/fevereiro. O índice também mostra melhoria com relação ao mesmo período de 2022, quando foi mensurado em 10,3%.

 

O perfil do consumidor inadimplente mostra preponderância do grupo de consumidores do sexo masculino (inadimplência potencial de 10,1%), do grupo com idade acima dos 35 anos (9,4%) e do estrato com renda familiar mensal inferior a cinco salários-mínimos (9,3%).

 

Orçamento familiar

A pesquisa ainda revela que 78,1% dos consumidores de Fortaleza afirmam fazer orçamento mensal e acompanhamento eficaz dos seus gastos e rendimentos, o que contribui para um melhor controle dos níveis de endividamento. Dos entrevistados, 10,9% relataram que fazem orçamento dos rendimentos, mas sem controle eficaz dos gastos e 11,0% informaram não possuir orçamento e tampouco controle dos gastos.

 

A falta de planejamento orçamentário é um problema crítico para o controle do endividamento, estando sempre entre um dos principais motivos para o atraso ou inadimplência. Dos fatores que os consumidores consideram que mais contribuem para esse problema, listam-se:

 

•              A falta de orçamento e controle dos gastos, com 56,9% das respostas;

•              As compras por impulso, sem necessidade ou além do necessário, com 18,6%;

•              Gastos imprevistos, com 17,3%;

•              O aumento dos gastos considerados essenciais, com 17,0%;

•              Desemprego, com 16,8%; e

•              Redução dos rendimentos, com 15,0%.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Endereços dos cines pornôs gays no Centro de Fortaleza

 ENDEREÇO DOS CINES DE FORTALEZA (CE) ☆CINE ARENA RUA MAJOR FACUNDO 1181 ☆CINE AUTORAMA RUA MAJOR FACUNDO 1193 ☆CINE MAJESTICK RUA MAJOR FACUNDO 866 ☆CINE SECRET RUA METON DE ALENCAR 607 ☆CINE SEDUÇÃO  RUA FLORIANO PEIXOTO 1307 ☆CINE IRIS  RUA FLORIANO PEIXOTO 1206 CONTINUAÇÃO ☆CINE ENCONTRO RUA BARÃO DO RIO BRANCO 1697 ☆CINE HOUSE RUA MENTON DE ALENCAR 363 ☆CINE LOVE STAR RUA MAJOR FACUNDO 1322 ☆CINE VIP CLUBE RUA 24 DE MAIO 825 ☆CINE ECLIPSE RUA ASSUNÇÃO 387 ☆CINE ERÓTICO RUA ASSUNÇÃO 344 ☆CINE EROS RUA ASSUNÇÃO 340

CONVOCAÇÃO:

  A SOSERVI - Sociedade de Serviços Gerais Ltda, CNPJ 09.863.853/0010-12, Convoca o funcionário JONAS GADELHA FERNANDES , para comparecer à sede da empresa para resolver assunto de seu interesse. Prazo de 72hs. Endereço: Rua: Dr. Jose Lourenço  – 2530 – Joaquim  Távora

Nota de pesar

  A PRT-7 manifesta o mais profundo pesar pela morte dos servidores aposentados José Maciel da Silva e José Siqueira de Amorim. José Maciel da Silva faleceu em 22 de janeiro. Sua última lotação foi no Setor de Arquivo desta Procuradoria Regional do Trabalho. O servidor José Siqueira Amorim faleceu em 28 de fevereiro e encerrou a carreira na Secretaria da Coordenadoria de 2º Grau. Ao tempo em que se solidariza com os familiares e amigos, a PRT-7 reconhece a valorosa contribuição de ambos enquanto atuaram nesta instituição.